Mesmo com costela fraturada, Elias acredita que pode defender a Ponte

Elias tem fé. Apesar de o departamento médico da Ponte Preta garantir que não enfrenta o Palmeiras amanhã, o meia acredita que um exame a ser realizado hoje possa mudar a situação. Elias fraturou uma costela no primeiro jogo das semifinais do Estadual, contra o Guaratinguetá, no dia 12. Caso a fratura não esteja totalmente consolidada, há até risco de perfuração do pulmão em caso de dividida mais forte.Mesmo assim, Elias acredita que poderá enfrentar o Palmeiras. "Eu não sinto dor", afirmou. "Quero jogar. A partida é especial para mim."Elias começou a carreira no Palmeiras. Com 13 anos, em 1998, um conselheiro amigo de seu pai arrumou vaga em peneira do clube. Ele ficou sete anos no Palestra Itália e não teve oportunidade na equipe profissional. Em 2005, seu empresário (cujo nome não revela) brigou com o clube e o contrato não foi renovado. "Tenho mágoa por não ter tido oportunidade", reconheceu. "Minha geração toda jogou pouco. O Ilsinho só teve chance no final do contrato."Elias jogou com Wendel e David na equipe B do Palmeiras. Com este último há amizade e brincadeiras. "Quando ficou definida a final, liguei para dar aquela zoada", revelou. "Disse para ele tomar cuidado com a gente."Do Palmeiras, Elias seguiu para o Náutico. De lá para o São Bento e finalmente no Juventus, onde chamou a atenção da Ponte. "Saí de um time grande e tive de ir subindo degrau a degrau", recordou. "Mas logo estarei na elite novamente."Elias, porém, não confirma a negociação com o Corinthians. "Tem a proposta e a Ponte Preta sabe disso, mas só vamos conversar depois do Paulista. E a Ponte tem prioridade." Mas o clube campineiro já dá como certa a transferência do meia.Ontem, durante cerimônia em Campinas, o prefeito da cidade, Hélio de Oliveira Santos, deu uma camisa da Ponte Preta para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas ele não prometeu torcida, já que seu filho é preparador físico do Palmeiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.