Wagner Carmo / CBAt
Wagner Carmo / CBAt

Mesmo contundido, Allan Wolski é ouro no lançamento de martelo no Troféu Brasil

Atleta do Pinheiros conquista tricampeonato com marca de 66,01 metros

Redação, Estadão Conteúdo

10 de dezembro de 2020 | 22h56

Allan Wolski, do Pinheiros, precisou se superar para conquistar a medalha de ouro na disputa do lançamento de martelo no Troféu Brasil de Atletismo. Mesmo contundido, ele participou do evento no estádio do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, em São Paulo, e triunfou com a marca de 66,01 metros.

O seu tricampeonato foi conquistado com apenas um lançamento, pois ainda se recupera de uma lesão no joelho direito, sofrida na semana passada, tendo feito tratamento para não ficar fora da competição. Luís Gustavo Aguiar e Ralf Rei Airton de Oliveira, ambos da Orcampi, ficaram em segundo e em terceiro lugar, com 64,58m e 63,39m, respectivamente.

"Foi muita alegria poder vencer mais uma vez, ainda mais com todos os problemas enfrentados na pandemia durante a preparação e agora com a contusão" disse Allan, de 30 anos.

Na disputa feminina do lançamento de martelo, Mariana Grasielly Marcelino (IEMA) conquistou o seu sexto título no Troféu Brasil, com 63,73m, melhorando sua marca no ranking nacional. Mveh Viviane Jeane de Dieu Gracielle (Sogipa) foi prata, com 59,86m, seguida por Kerolayne Camila da Silva (Projeto Atletismo Campeão), com 54,62m. "Fiquei muito feliz com mais uma vitória. Estava oscilando muito nas últimas competições, por causa das dificuldades de treinamento na temporada", afirmou Mariana.

Jenifer do Nascimento Silva (Pinheiros) venceu a disputa do 10 mil metros m 34min20s64, ganhando por mais de uma volta de diferença de Joziane Cardoso (IPEC), segunda colocada, com com 35min52s95. Graziele Zarri (Pinheiros) ficou em terceiro lugar, com 36min05s64. "Me senti muito bem na prova, recuperada de uma lesão e da falta dos treinos causada pela pandemia", disse Jenifer.

Daniel Ferreira do Nascimento (ABDA Atletismo) triunfou na versão masculina da prova em 29min32s61. Gilmar Silvestre Lopes (UFJF) foi o segundo, com 29min37s28, seguido pelo irmão gêmeo Gilberto Silvestre Lopes (Pé de Vento-Petrópolis), com 29min59s15. "Estou superfeliz porque esse é o meu segundo título do Troféu Brasil - o primeiro foi em 2017. Queria uma marca melhor, mas ainda vou correr o Brasileiro Sub-23 (em Bragança Paulista, dias 17 e 18)", disse Daniel.

Nas eliminatórias, destaque para Paulo André, que liderou a disputa dos 100m livre ao fazer 10s16. "Fiquei muito feliz com o resultado. Embora esteja treinando para a temporada 2021, a velocidade está nas minhas pernas", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.