Mesmo criticado, Mouche segue no time

Atacante perdeu muitas chances de gol no 2º jogo diante da Universidad de Chile, mas é mantido na equipe por Falcioni

BUENOS AIRES, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2012 | 03h10

Mesmo depois de perder um caminhão de gols na segunda partida da semifinal da Libertadores contra o Universidad de Chile (empate por 0 a 0, em Santiago), o atacante Pablo Mouche está garantindo no ataque do Boca Juniors para a partida de amanhã contra o Corinthians. No treino de ontem pela manhã, o técnico Julio César Falcioni confirmou o jogador na linha de frente da equipe ao lado de Santiago Silva.

Mouche passou a ter sua posição na equipe questionada mais fortemente pela imprensa e pela torcida porque não soube aproveitar as chances que teve de "matar" o Universidad do Chile em Santiago. Com a vantagem de ter ganho por 2 a 0 em casa, se o Boca fizesse um gol obrigaria o adversário a marcar pelo menos quatro para se classificar. Como o gol não veio, a equipe acabou sendo pressionada pelo rival até os minutos finais do jogo.

Assim havia a expectativa de que Mouche perdesse o seu lugar para Cvitanich, que o substituiu no segundo tempo da partida da última quinta-feira.

Falcioni não fará nenhuma mudança em relação ao time que enfrentou os chilenos. Vai mandar a campo Orion; Roncaglia, Schiavi e Caruzzo, Clemente; Ledesma, Somoza e Erviti; Riquelme; Mouche e Silva.

O treinador aposta no entrosamento e na experiência de seus jogadores para fazer um bom resultado em casa e decidir com mais tranquilidade no Pacaembu - a média de idade da equipe é de quase 31 anos. O fator físico também não preocupa. Como as chances de conquistar o Campeonato Argentino no último domingo eram remotas, os titulares foram poupados para enfrentar o Corinthians.

Alívio. Por causa de incidentes nos jogos contra o Universidad de Chile (objetivos foram atirados no gramado) e Arsenal (um bandeirinha foi atingido), havia o temor de que a Bombonera fosse interditada pela autoridades argentinas às vésperas da final da Libertadores. Ontem, porém, veio a confirmação de que o estádio está liberado. / R.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.