Mesmo sonolento, Corinthians vence fácil

Faltando apenas dois jogos para o Mundial, vitória sobre o Internacional não serve de parâmetro

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2012 | 02h04

Tite passou a semana elogiando o Internacional e dizendo que a partida no Beira-Rio seria importantíssima na preparação do Corinthians para o Mundial. Mas o que se viu ontem em Porto Alegre não serve de parâmetro para o torneio que será disputado em dezembro no Japão. Com extrema facilidade, o Alvinegro venceu por 2 a 0. Defesa e ataque não puderam ser verdadeiramente testados tamanha a fragilidade do Colorado

À espera do embarque para o Japão, o Corinthians é um time preguiçoso, lento. E é até compreensível. Como a cabeça dos jogadores está no Mundial, é difícil cobrar que alguém entre com muita força numa dividida ou acelere o ritmo numa corrida em busca da bola. A bem da verdade o Inter também não jogou com muito apetite, já que entrou em campo ciente de que não era mais possível conquistar uma vaga na Libertadores.

Mesmo sem precisar se esforçar muito, o Corinthians foi superior. Bastava levar o jogo em banho-maria à espera de um vacilo do adversário para dar o bote. Pois esse foi o comportamento do time durante todo o primeiro tempo.

Depois de Guerrero quase abrir o placar ao cinco minutos após cruzamento rasteiro de Danilo, o Alvinegro só voltou a levar perigo aos 38 minutos. Mesmo assim, o lance não surgiu em jogada armada pelos homens de frente. Foi o zagueiro Chicão, em cobrança de falta, que exigiu boa defesa de Muriel.

Inofensivo, o Inter parecia pedir para tomar um gol. E levou. Aos 47, Douglas levantou para Guerrero, nas costas da zaga, desviar de cabeça e abrir o placar - a jogada começou com uma bola na trave chutada por Martínez.

No segundo tempo o Corinthians passou ao seu torcedor a falsa impressão de que partiria para cima do Inter a fim de definir logo a vitória e já no primeiro minuto acertou a trave após cruzamento de Douglas que Índio desviou contra o próprio gol. Mas depois desse lance o Corinthians parou.

Como o Inter passou a atacar um pouco mais em relação ao primeiro tempo, o Alvinegro preferiu se acomodar na defesa para tentar dar o bote no melhor momento, que demorou para aparecer. O tempo foi passando e as chances não surgiam.

Marasmo. O Corinthians tinha mais posse de bola, trocava passes, mas não criava. Visivelmente cansado, Douglas não conseguia deixar os atacantes em condições de marcar. O mesmo acontecia com Danilo, que fez ontem seu primeiro jogo como titular depois de mais de um mês parado- o meia estava se recuperando de um corte no tornozelo direito.

Emerson Sheik saiu do banco para substituir Martínez aos 16 minutos do segundo tempo, mas também não mudou muita coisa. O atacante sentiu demais a falta de ritmo de jogo (não atuava desde 13 de outubro, quando sofreu lesão no joelho direito) e pouco fez. E assim o jogo foi se arrastando, até que aos 45 minutos Romarinho cruzou para Edenilson fazer 2 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.