Abelardo Mendes Jr/Portal da Copa
Abelardo Mendes Jr/Portal da Copa

Metroviários desistem de greve e transporte para Arena Pernambuco está garantido

Espanha e Uruguai jogam em Recife, onde havia perigo do transporte público parar

ANGELA LACERDA, Agência Estado

13 de junho de 2013 | 21h00

Os metroviários do Recife decidiram não entrar em greve, em assembleia, na noite desta quinta-feira, afastando a ameaça de sérios problemas de acesso à Arena Pernambuco, no município metropolitano de São Lourenço da Mata, onde Espanha e Uruguai se confrontam neste domingo, pela Copa das Confederações. O metrô é o principal suporte de mobilidade dentro do esquema montado pela Fifa e secretaria estadual da Copa (Secopa).

A classe aceitou a proposta da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), que incluiu 7,4% de reajuste salarial mais 7,45 no valor do tíquete alimentação e outros 7,4% no valor do reembolso do plano de saúde. De acordo com a CBTU, as concessões representam quase 30% de ganho salarial para os salários mais baixos e quase 10% para os mais altos. São 1,5 mil metroviários no Recife, onde o transporte serve a 320 mil usuários/dia.

De acordo com fontes sindicalistas, o governador Eduardo Campos (PSB) teria feito pressão para o governo federal negociar com a classe e evitar uma greve que fatalmente iria prejudicar a Copa das Confederações. Cinco ministérios teriam sido envolvidos na negociação, segundo a fonte. O plano da Fifa e da Secopa prevê que 30 mil torcedores utilizem o metrô. Na estação mais próxima da arena, ônibus circulares levarão as pessoas até o estádio.

Para aliviar o trânsito, engarrafamentos e superlotação do metrô, o governo estadual determinou ponto facultativo nas repartições públicas na quarta-feira, quando Itália e Japão se confrontam. Neste dia, o estádio será aberto às 15 horas para quem quiser assistir ao jogo do Brasil contra o México nos telões da arena - outra medida para evitar todo o fluxo concentrado em um horário.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa das ConfederaçõesfutebolRecife

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.