AP
AP

Michael Vick está de volta à NFL após 23 meses de prisão

Quarterback de 29 anos pode voltar a jogar profissionalmente na liga a partir de outubro; final da 'novela'

27 de julho de 2009 | 17h59

O quarterback Michael Vick foi reincorporado à NFL pelo comissário da liga, Roger Goodell, nesta segunda-feira, acabando, assim, com uma das maiores polêmicas dos últimos anos no futebol americano.

Veja também:

linkMichael Vick é alvo de nova liga de futebol americano

linkEx-quarterback da NFL sai da prisão após 19 meses

linkEx-quarterback da NFL tem prisão domiciliar concedida

linkAstro da NFL é condenado a 23 meses de prisão

linkBrigas de cães atraem público ávido por violência

Vick, que completou neste mês a pena de 23 meses de reclusão por financiamento de briga de cachorros, crueldade a animais e formação de quadrilha, estará apto a jogar por qualquer equipe da NFL a partir de outubro, especificamente a sexta semana de jogos da liga. Treinamentos, reuniões e viagens com o time que vier a fechar já estão liberados para o quarterback.

O quarterback de 29 anos está feliz por ter recebido uma segunda chance de voltar a jogar futebol americano profissionalmente. "Eu gostaria de expressar minha sincera gratidão e apreciação ao comissário Goodell por permitir que eu seja readmitido a Liga Nacional de Futebol [americano]", disse Michael Vick, em comunicado divulgado à imprensa.

"Eu entendo que jogar futebol [americano] na NFL é um privilégio, não um direito, e eu estou muito feliz pela oportunidade que recebi", completou Vick, que agora analisa quais times estão interessados em contratá-lo.

Vick, que foi o primeiro da escolha do Draft da NFL e esteve no Jogo das Estrelas da liga, disse que aprendeu a lição durante o cumprimento de sua sentença e que continuará a procurar conselhos com o primeiro técnico negro a conquistar o Super Bowl, Tony Dungy, ex-Indianapolis Colts. "Como qualquer um pode imaginar, os últimos dois anos me deram a oportunidade de reavaliar minha vida, ser mais maduro como um individuo e perfeitamente compreender os erros terríveis que eu cometi no passado e o tipo de vida que eu preciso ter".

Tido como um dos principais quarterbacks dos últimos tempos, Vick disputou seis temporadas com o Atlanta Falcons antes de ser preso, e hoje não tem vínculo algum, livre para negociar com o clube que desejar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.