Milan, base da seleção, amarga fase difícil

O Milan, clube que mais vem cedendo jogadores à seleção brasileira ao lado da rival Internazionale, passa por uma de suas fases mais difíceis nos últimos anos. A ausência de Kaká não é o único problema com que convive o clube de Silvio Berlusconi, que perdeu Christian Abbiati para o restante da temporada. O goleiro sofreu séria lesão no joelho direito durante a vitória sobre o Siena por 5 a 1, anteontem, e não deverá retornar aos gramados em menos de seis meses - chance para Dida voltar a ser titular.O meio-campista Gennaro Gattuso não joga desde dezembro, também por causa de contusão no joelho. O zagueiro georgiano Kaladze e o eficiente Nesta sofrem com problemas físicos e não vão mais entrar em campo neste Campeonato Italiano. Ronaldinho Gaúcho, contratado em 2008, não conseguiu retomar a boa forma que o consagrou na Europa. Em campo - não poderia ser diferente -, os resultados estão aquém do esperado.O time não conseguiu se classificar para a edição atual da Copa dos Campeões. Teve de se contentar com a Copa Uefa, na qual fracassou e foi eliminado na 3.ª fase pelo Werder Bremen. E, no Italiano, não é páreo para o adversário da cidade, a Inter, que dificilmente perde o título. O Milan, com 54 pontos, está 12 atrás da equipe de José Mourinho.Financeiramente, a situação do clube também não é a mesma de tempos atrás, quando podia contratar o jogador que quisesse. Muito se fala na Itália que Berlusconi e seus diretores ainda lamentam o fato de Kaká ter recusado a oferta do Manchester City, da Inglaterra, recentemente. O grupo árabe que administra o time de Robinho, Elano e Jô ofereceu mais de 100 milhões ao Milan para liberar o craque, eleito melhor do mundo em 2007. Berlusconi aceitou a proposta e deu o aval para que o jogador negociasse com o Manchester. O meia, no entanto, preferiu ficar na Itália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.