Mineirão superlotado recebe também a torcida de Aécio, Serra e Dunga

Mais uma vez política e futebol se misturaram ontem, na final da Libertadores. Além do governador mineiro, Aécio Neves, a torcida do Cruzeiro foi reforçada pelo outro pré-candidato tucano à Presidência, o governador de São Paulo, José Serra. Palmeirense, o governador paulista alegou numa conversa com o mineiro que é torcedor do Palestra Itália - nome de batismo de Cruzeiro e Palmeiras. Foi a deixa para que Aécio o convidasse para o jogo no Mineirão. "Espero que ele seja pé-quente, né?", disse o governador de Minas, antes da partida. A exemplo de outras ocasiões, Aécio procurou protagonizar as atenções. Após uma solenidade, no Palácio da Liberdade - na qual condecorou com a Medalha da Inconfidência o presidente da Conmebol, Nicolas Léoz -, ele fez questão de anunciar que o técnico da seleção brasileira, Dunga, acompanharia o jogo do Mineirão. Os governadores tucanos e Dunga chegaram juntos ao Mineirão. Nos bastidores, o mineiro aproveitou para reivindicar papel importante para Belo Horizonte na Copa de 2014. Ele reivindica que a capital mineira seja sede da abertura do Mundial ou abrigue o Brasil na fase inicial da competição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.