Mineirinho, a aposta do maior nome brasileiro

Fábio Gouveia, o maior surfista brasileiro da história, espera que 2008 seja o ano da retomada do surfe nacional. Para o primeiro surfista do Brasil a ganhar uma etapa no Havaí, o favorito para conseguir uma vitória no circuito é o paulista Adriano de Souza, o Mineirinho, de 21 anos. "Acho que esse pode ser o seu melhor ano", diz Gouveia. Revelação do surfe nacional, Mineirinho teve uma rápida ascensão no circuito - foi campeão mundial júnior em 2004 e campeão do World Qualifying Series (WQS) no ano seguinte. Logo em seu primeiro evento no WCT, em 2006, conseguiu um pódio, com a terceira colocação na Gold Coast. Mas a fase vitoriosa parou por aí. "Quando você entra no WCT, tem um período de aprendizado que dura mais ou menos dois anos. Só depois se começa a colher frutos do trabalho", afirma Gouveia. Daí a razão da aposta. Com ressalvas. "Ele ainda tem deficiências em ondas maiores, mas é focado e sabe competir."O Brasil tem sete conquistas do WCT, com seis surfistas diferentes. A geração com maior número de vitórias é a de Gouveia, Teco Padaratz, Peterson Rosa, Victor Ribas e Ricardo Tatuí. Cada um venceu uma vez. Suas conquistas foram na década de 90, quando os brasileiros ainda não haviam desbravado as ondas do mundo.Da geração mais recente, Neco Padaratz, irmão de Teco, teve um começo de carreira promissor. Ele conquistou dois títulos, na Califórnia (Estados Unidos), em 1999, e na França, em 2002. Mas problemas pessoais acabaram prejudicando o surfista nos anos seguintes e os resultados não apareceram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.