Marcio Fernandes/ Estadão
Marcio Fernandes/ Estadão

Mineirinho chegará ao Brasil com a sensação de dever cumprido

'Sensação única de dever cumprido e reconhecimento da galera'

Paulo Favero, enviado especial ao Havaí, O Estado de S. Paulo

21 de dezembro de 2015 | 16h08

O surfista Adriano de Souza, o Mineirinho, chega ao Brasil nesta terça-feira, no aeroporto de Guarulhos, com a taça de campeão mundial e muita ansiedade. Ele até pretendia ficar mais tempo no Havaí, onde ganhou o título, para treinar, mas a vitória alterou seus planos. Ele sabe que a empolgação dos torcedores é grande, mas evita pensar na recepção. "Nem imagino como será a volta. Vai ser louco", brinca.

Existe a expectativa de que muitos torcedores do Corinthians, clube que já patrocinou o atleta, apareçam no aeroporto. A própria diretoria do Timão está incentivando as uniformizadas a irem mostrar seu apoio ao surfista, que é corintiano declarado.

Ao chegar, ele vai direto para o prédio de uma de suas patrocinadoras, onde dará entrevista. Depois, é esperado no Guarujá, onde vai desfilar em carro aberto diante de seus amigos e familiares. "É uma sensação única de dever cumprido e reconhecimento da galera", afirma o atleta de 28 anos.

Para ele, a cereja no bolo foi vencer o Pipe Masters, última etapa da temporada, em Pipeline, até porque ele reconhece que é uma onda que não é sua especialidade. "Vencer em Pipe foi incrível. Sair do pódio com o troféu de primeiro lugar foi uma coisa que me impressionou bastante, pois não é muito meu forte. Para o Ricardo dos Santos, era o sonho dele. Acho que para conquistar esse troféu eu tive muita ajuda dele", diz, sobre o amigo assassinado por um policial em janeiro.

Mineirinho é o segundo brasileiro campeão mundial no surfe. No ano passado, Gabriel Medina conquistou o título e abriu o caminho para que outros pudessem sonhar. Com o troféu nas mãos, Mineirinho sabe que terá trabalho na próxima temporada e evita falar em bicampeonato. "É muito cedo, vamos passo a passo. A próxima etapa será na Austrália, começa lá, depois do que ocorrer ali a gente começa a planejar para o resto do ano", concluiu o atleta, sobre a disputa que se inicia em 10 de março, em Gold Coast.

Tudo o que sabemos sobre:
surfegabriel medinacircuito mundial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.