Mineirinho quebra tabu em Florianópolis

No esporte, nem sempre as finais de uma competição oferecem os maiores desafios aos atletas. Prova disso foi o caso de Adriano Mineirinho no Onbongo Pro Surfing, na Praia Mole, em Florianópolis. O brasileiro está na competição com a obrigação de vencer para sagrar-se campeão antecipado do World Qualifying Series (WQS), a Divisão de Acesso do surfe mundial. Antes, porém, tinha uma grande barreira a superar: não havia vencido uma bateria sequer nas três edições anteriores do evento. Hoje quebrou o incômodo tabu. A conquista de Mineirinho, no entanto, não foi tranqüila. Durante boa parte dos 25 minutos que dispunha para se apresentar pela terceira fase, o surfista ficou em último lugar na bateria, atrás do espanhol Iker Fuentes e dos brasileiros Guilherme Herdy e Renato Galvão. Foi no final que conseguiu pegar boas ondas que lhe renderam notas 6,70 e 7,70 suficientes para lhe garantir a classificação e o primeiro lugar na disputa, com somatória das duas melhores ondas de 14,47 pontos. Fuentes ficou com a outra vaga com 13,37 pontos totais. "Perder na primeira é normal, na segunda ok, mas na terceira...", desabafou Mineirinho após quebrar o tabu no Onbongo Pro. O surfista não escondeu que estava sob pressão. "É difícil enfrentar certos concorrentes como o Herdy, que surfa muito e está sempre no WCT (World Championship Tour, a Divisão de Elite). Fiquei feliz de vencer esse primeiro round, embora tenha sido pena o Brasil ter perdido a outra vaga já que quem passou foi o espanhol", completou o surfista, que volta às ondas neste sábado contra o brasileiro Raoni Monteiro, o sul-africano Daniel Redman e o australiano Josh Kerr. Mineirinho diz que para as próximas baterias terá de se concentrar. "Aqui a maré sobe e desce muito depressa. A cada hora muda. Terei de ficar atento a isso." Entre os outros destaques do dia de competição, com ondas de 1,5 a 2 metros e tempo chuvoso, o australiano Shaun Cansdell, que também luta pelo título do WQS, conseguiu classificação para a próxima fase. O havaiano Dustin Barca conseguiu a melhor nota de onda do dia, 9,17 e a melhor somatória, 17,17. A surpresa foi o americano Tom Curren, tricampeão do WCT, que foi eliminado em sua bateria pelo brasileiro Heitor Alves e o português Gustavo Pires. AJUDA - Caio Monteiro, técnico da seleção brasileira de surfe, sofreu um acidente vascular cerebral que resultou em convulsões e hemorragias. Segundo o presidente da Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro, Pedro Falcão, a única chance de melhora do treinador é por meio de uma cirurgia em clínica particular. As pessoas que quiserem ajudar Monteiro financeiramente, podem fazer doações no Banco Real, Agência 0900, conta corrente 7704846.

Agencia Estado,

28 de outubro de 2005 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.