Mineirinho quebra tabu em Florianópolis

No esporte, nem sempre as finais de uma competição oferecem os maiores desafios aos atletas. Prova disso foi o caso de Adriano Mineirinho no Onbongo Pro Surfing, na Praia Mole, em Florianópolis. O brasileiro está na competição com a obrigação de vencer para sagrar-se campeão antecipado do World Qualifying Series (WQS), a Divisão de Acesso do surfe mundial. Antes, porém, tinha uma grande barreira a superar: não havia vencido uma bateria sequer nas três edições anteriores do evento. Hoje quebrou o incômodo tabu. A conquista de Mineirinho, no entanto, não foi tranqüila. Durante boa parte dos 25 minutos que dispunha para se apresentar pela terceira fase, o surfista ficou em último lugar na bateria, atrás do espanhol Iker Fuentes e dos brasileiros Guilherme Herdy e Renato Galvão. Foi no final que conseguiu pegar boas ondas que lhe renderam notas 6,70 e 7,70 suficientes para lhe garantir a classificação e o primeiro lugar na disputa, com somatória das duas melhores ondas de 14,47 pontos. Fuentes ficou com a outra vaga com 13,37 pontos totais. "Perder na primeira é normal, na segunda ok, mas na terceira...", desabafou Mineirinho após quebrar o tabu no Onbongo Pro. O surfista não escondeu que estava sob pressão. "É difícil enfrentar certos concorrentes como o Herdy, que surfa muito e está sempre no WCT (World Championship Tour, a Divisão de Elite). Fiquei feliz de vencer esse primeiro round, embora tenha sido pena o Brasil ter perdido a outra vaga já que quem passou foi o espanhol", completou o surfista, que volta às ondas neste sábado contra o brasileiro Raoni Monteiro, o sul-africano Daniel Redman e o australiano Josh Kerr. Mineirinho diz que para as próximas baterias terá de se concentrar. "Aqui a maré sobe e desce muito depressa. A cada hora muda. Terei de ficar atento a isso." Entre os outros destaques do dia de competição, com ondas de 1,5 a 2 metros e tempo chuvoso, o australiano Shaun Cansdell, que também luta pelo título do WQS, conseguiu classificação para a próxima fase. O havaiano Dustin Barca conseguiu a melhor nota de onda do dia, 9,17 e a melhor somatória, 17,17. A surpresa foi o americano Tom Curren, tricampeão do WCT, que foi eliminado em sua bateria pelo brasileiro Heitor Alves e o português Gustavo Pires. AJUDA - Caio Monteiro, técnico da seleção brasileira de surfe, sofreu um acidente vascular cerebral que resultou em convulsões e hemorragias. Segundo o presidente da Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro, Pedro Falcão, a única chance de melhora do treinador é por meio de uma cirurgia em clínica particular. As pessoas que quiserem ajudar Monteiro financeiramente, podem fazer doações no Banco Real, Agência 0900, conta corrente 7704846.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.