Mineiros apostam no invicto meia Wagner

O Cruzeiro perdeu quatro vezes no ano e em nenhuma dessas partidas o meia Wagner esteve em campo. O time mineiro caiu diante de Estudiantes (Taça Libertadores), Náutico, São Paulo e Palmeiras (Brasileiro). A presença do camisa 10 entre os titulares hoje enche de esperança os cruzeirenses. O time precisa de um empate simples para avançar às semifinais da competição sul-americana. Wagner prefere não associar sua invencibilidade ao que o Cruzeiro pode apresentar no Morumbi, mas comemora o fato de ainda não ter saído derrotado de campo em 2009. "Fico feliz por ter condições de ajudar o time nas vitórias que conquistou, mas isso não é suficiente para garantir a classificação contra o São Paulo", disse o meia, em Atibaia, onde a equipe se concentrou durante a semana. "Vou tentar manter esse meu retrospecto e ajudar o Cruzeiro a chegar à próxima fase."O jogador é o trunfo do técnico Adílson Batista para tentar amenizar a ausência do volante Ramires, que está com a seleção brasileira na Copa das Confederações, e também funcionava como armador de jogadas do time mineiro. Adilson tem dúvidas quanto à escalação que mandará a campo. Por isso, não deu pistas sobre a formação tática que adotará na decisão. Sua equipe pode entrar com dois atacantes, Kléber e Wellington Paulista, ou com mais um volante, avançando o meia Wagner para jogar ao lado de Kléber no ataque. Elicarlos entraria na vaga de Wellington Paulista. Zé Carlos, autor do gol decisivo na vitória diante dos paulistas no primeiro jogo (2 a 1), no Mineirão, segue como opção no banco de reservas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.