Miniou está curado de uma contusão grave

Um dos exemplos de sucesso na recuperação de um animal com o uso de células-troncos é o cavalo Miniou. Em junho de 2005, ele sofreu grave contusão nas seletivas da Copa do Mundo, em Belo Horizonte. "Teve rompimento total de tendão ao saltar o obstáculo de uma pista", conta o proprietário, Rodrigo Lima. A lesão era grave. "A recuperação exigiria que o cavalo ficasse parado por muito tempo e, quando não pode se movimentar, corre sério risco de ter problema de cólica e morrer", explica Lima. Não foi o caso de Miniou. "O Thomaz Montello, veterinário dos meus cavalos, estava em Belo Horizonte. Viu a lesão disse que tinha como consertá-la." Lima conta que permitiu a experiência para salvar a vida do cavalo.Miniou ficou na capital mineira, onde recebeu as células-tronco. Só pôde retornar ao Rio em fevereiro de 2006. "Depois, no Rio, foi muita fisioterapia, natação, trote, subidas em morro, adaptação das ferraduras", conta Lima. Hoje, Miniou, de 16 anos, salta obstáculos de 1,10 com Viviane, mulher de Lima - a idade não permite que dispute provas fortes. "Mas me dá mais alegrias agora do que quando eu o montava."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.