Ministério da Agricultura define regras para importar cães-guia no Rio-2016

O Ministério da Agricultura publicou nesta sexta-feira regras para a importação de cães-guia que irão acompanhar os atletas dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. O texto também traz normas para a importação de produtos de origem animal e vegetal para consumo humano das delegações, organizações e representações diplomáticas dos países participantes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que ocorrem em agosto.

Victor Martins, Estadão Conteúdo

11 de março de 2016 | 15h29

Os cães-guia devem estar acompanhados do Certificado Veterinário Internacional, emitido pela autoridade veterinária do país de origem, contendo todas as garantias sanitárias. Os animais com mais de três meses de idade devem chegar ao Brasil imunizados contra a raiva, com vacina autorizada pela respectiva autoridade veterinária.

De acordo com a instrução normativa assinada pela ministra Kátia Abreu, estas regras valem para atletas, preparadores técnicos, pessoal médico e paramédicos, dirigentes e pessoal de apoio em geral, árbitros e profissionais antidoping, além de membros do Comitê Olímpico Internacional (COI), Comitê Paralímpico Internacional (CPI), dos diversos comitês olímpicos e federações desportivas, e integrantes da Agência Mundial Antidoping (Wada) e Corte Arbitral do Esporte (CAS).

Tudo o que sabemos sobre:
cão-guiaanimalcachorroParalimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.