Damir Sagolj/Reuters
Damir Sagolj/Reuters

Ministério do Esporte intervém e Adriana Araújo volta à seleção de boxe

Ela voltará a treinar no Clube-Escola Santo Amaro, onde funciona o CT da seleção brasileira

AE, Agência Estado

19 de fevereiro de 2014 | 20h12

SÃO PAULO - O ministério do Esporte resolveu intervir para resolver uma pendência que vinha desde o fim dos Jogos de Londres e que atrapalhava o boxe brasileiro. Nesta quarta-feira, reuniu em Brasília a medalhista olímpica Adriana Araújo e o presidente da Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe), Mauro Silva, e definiu a volta dela à seleção brasileira.

Adriana, por sua vez, aceitou voltar a treinar em São Paulo, ponto que foi o maior motivo de crítica dela à CBBoxe depois da medalha de bronze nos Jogos de Londres, em 2012. Na época, reclamou de a seleção ficar baseada na capital paulista enquanto ela, baiana, preferia ficar em Salvador com o técnico Luis Dórea.

Com a intervenção do governo, Adriana não apenas volta à seleção brasileira como passa a fazer parte do Plano Brasil Medalhas. Assim, receberá o Bolsa Pódio (porque é a terceira do ranking mundial na categoria até 60kg) e terá apoio federal para treinar e competir no exterior. Além disso, a comissão que trabalha com ela também será remunerada.

A reunião foi promovida nesta quarta-feira pela secretaria nacional de alto rendimento, em Brasília. "Todo atleta brasileiro com potencial de medalha irá receber todas as condições para tentar a conquista", avisou Ricardo Leyser, titular da pasta.

Oficialmente, o principal motivo de Adriana estar fora da seleção era o seu peso. Atualmente ela está com 66kg e lutou na até 64kg no Brasileiro do ano passado. Mas a pugilista garante que pode bater 60kg, que é a categoria olímpica dela. Adriana, entretanto, disse não estar preocupada com a questão do peso e que não terá problemas para atingir o peso estabelecido.

Ela voltará a treinar no Clube-Escola Santo Amaro, da prefeitura de São Paulo, onde funciona o CT da seleção brasileira. Poderá morar numa casa alugada pela CBBoxe e terá à sua disposição a equipe multidisciplinar da entidade. Como o calendário do boxe feminino é enxuto, seus compromissos oficiais para 2014 são só o Brasileiro (em julho), o Pan-Americano (outubro) e o Mundial (novembro).

Tudo o que sabemos sobre:
boxeAdriana Araújo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.