Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Ministério do Trabalho interdita obras da Olimpíada no Rio

Velódromo Olímpico e Arena de Tênis podem sofrer com atrasos

FÁBIO GRELLET, O Estado de S. Paulo

29 de abril de 2015 | 19h41

Auditores do ministério do Trabalho interditaram parcialmente nesta quarta-feira duas obras de instalações esportivas para a Olimpíada de 2016 no Rio. Tanto no Velódromo Olímpico, que receberá as provas de ciclismo de pista, quanto na Arena de Tênis, as construções desrespeitam as normas de segurança dos operários, segundo a conclusão dos auditores encarregados da fiscalização.

No velódromo, a rampa que faz parte da rota de fuga dos trabalhadores na escavação do subsolo não tem a inclinação exigida pelas normas técnicas. Na Arena de Tênis, os auditores constaram que não havia guarda-corpo (grade de proteção contra quedas) no último andar da arquibancada para 10 mil lugares.

A Empresa Municipal de Urbanização (RioUrbe), responsável pelo acompanhamento das obras, informou que está providenciando as alterações exigidas e que a interrupção não atrasará o cronograma de entrega das obras para a Olimpíada.

A respeito do Velódromo, a nota da RioUrbe divulga que, "para cumprir o pedido do Ministério do Trabalho, as atividades, nesse ponto específico, precisaram ser interrompidas. Nas outras áreas do Velódromo o trabalho prossegue normalmente".

Segundo a empresa, a correção será feita até as 13 horas da quinta-feira, "como estipulado pelo Ministério do Trabalho à empresa Tecnosolo Serviços de Engenharia". Na Arena de Tênis, ainda de acordo com a nota, o problema identificado pelo Ministério do Trabalho será resolvido "entre quinta e sexta".

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaRioobrasinterdição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.