Ministro defende gastos com Pan do Rio

Em resposta às recentes críticas do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre os gastos elevados para a realização dos Jogos Pan-Americanos do Rio, o ministro do Esporte, Orlando Silva, disse neste sábado que está com a consciência tranqüila de que o governo federal cumpriu com o seu dever para salvar o nome do Brasil e evitar um vexame na organização do evento que aconteceu em julho de 2007. Segundo relatório final do TCU sobre o Pan do Rio, divulgado na última quarta-feira, o orçamento inicial de aproximadamente R$ 390 milhões superou os R$ 3,3 bilhões, por falta de planejamento adequado. "Se voltasse o tempo, nas circunstâncias que encontramos as dificuldades, faríamos a mesma coisa", declarou o ministro, que não se cansou de dizer que o governo federal apenas cumpriu com sua obrigação de bancar a organização do evento."Houve expansão crescente da responsabilidade do governo federal e nós fizemos o que tinha que ser feito. Era o nome do Brasil que estava em jogo. O governo federal investiu mais porque tinha que investir mais", afirmou Orlando Silva, em entrevista durante um seminário organizado pela CBF no Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.