Ministro diz que orçamento inicial do Pan foi malfeito

Orlando Silva Júnior, ministro do Esporte, declarou nesta segunda-feira que o aumento nos gastos para a realização dos Jogos Pan-Americanos do Rio deve-se a um ?planejamento malfeito?. A previsão orçamentária, feita em 2002, indicava que os custos das obras e de todo o restante da parte de infra-estrutura seriam de R$ 409 milhões. Os gastos, no entanto, já somam R$ 3,2 bilhões, aproximadamente oito vezes mais que a previsão.?É inaceitável que, ano a ano, o orçamento vá crescendo, por causa de uma previsão imprecisa e incorreta?, comentou Orlando Silva Júnior. ?O projeto feito em 2002 (quando o ministro do Esporte era Carlos Melles, na gestão do presidente Fernando Henrique Cardoso) subestimou os custos do Pan. O Rio exige investimentos altos em vários pontos, como a segurança.?Orlando Silva deverá se encontrar ainda nesta semana com o ministro Marcos Vilaça, autor de relatório sobre o orçamento do Pan do Tribunal de Contas da União (TCU), para explicar a aplicação do dinheiro em algumas obras. O ministro do Esporte garante não haver nenhuma irregularidade.Ele ainda disse que ?os erros na previsão orçamentária servirão de lição para o País? na tentativa de organizar outros grandes eventos. O Brasil pretende ser sede da Copa do Mundo de 2014 - tem como concorrente a Colômbia e, hoje, é favorito a ganhar a disputa - e dos Jogos Olímpicos de 2016.A Agência Estado não localizou Carlos Melles para falar da previsão de gastos feita em 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.