Ministro pede a Curitiba que respeite os prazos

O ministro dos Esportes, Orlando Silva, disse ontem, em Curitiba, que, se os prazos estabelecidos pelo comitê organizador da Copa do Mundo de 2014 forem respeitados, a cidade pode se colocar "à frente de outras"" para ser uma das cinco sedes da Copa das Confederações, que será realizada em 2013. "Cumprir o cronograma significa entregar, ainda em 2012, a infraestrutura e o estádio (Arena da Baixada)"", ressaltou. "É um belo desafio a ser perseguido.""

Evandro Fadel / CURITIBA, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2011 | 00h00

Segundo Silva, a solução encontrada para as reformas e término do estádio, com a cessão pela prefeitura do potencial construtivo para a construtora que assumir as obras, é "exemplar para o Brasil"". "É uma solução sustentável para a conclusão"", acrescentou.

A previsão é que as obras na Arena da Baixada comecem em meados deste ano. "Saio instruído para informar à presidente Dilma Rousseff de que vai muito bem a condução no Paraná"", afirmou. Além de se reunir com o governador Beto Richa, o ministro almoçou com dirigentes do Atlético em um restaurante na Arena da Baixada.

O ministro, porém, não demonstrou o mesmo otimismo na visita que fez quinta-feira a Porto Alegre. Sua preocupação com a falta de garantias financeiras para a reforma do Estádio Beira-Rio, escolhido pela Fifa para a ser a sede gaúcha da Copa. As obras estão orçadas em R$ 155 milhões e o Internacional ainda não definiu com0 será feito o financiamento.

Enquanto isso 0 Grêmio prossegue na construção de sua arena, sonhando, embora não declare, com uma reviravolta que possa colocá-lo na Copa do Mundo. Mas suas chances maiores são de ser incluído na Copa das Confederações. Ontem, porém, o Grêmio sofreu um contratempo, segundo a Rádio Gaúcha: 300 operários que trabalharam na Arena paralisaram o trabalho, reivindicando melhores salários e permissão para visitar a família - a maioria é do Nordeste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.