AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Ministro quer fazer do Pan teste para as Olimpíadas

O ministro dos Esportes, Orlando Silva Júnior, disse nesta quinta-feira, em Curitiba, que está apostando nos Jogos Pan-Americanos 2007, no Rio de Janeiro, como um teste que demonstre a capacidade do Brasil de sediar uma edição das Olimpíadas. ?Em 2016 vamos apresentar a candidatura do Rio de Janeiro, e a realização do Pan com êxito, em ambiente amistoso, com a máxima segurança, com itens e tecnologia funcionando bem é o teste para o Brasil ter uma candidatura mais consistente?, afirmou. Ele garantiu que não haverá atraso no preparo dos equipamentos e da infra estrutura necessária para os jogos. ?Nossa vila pan-americana será superior à vila olímpica de Atenas. Rio de Janeiro estará preparado". Mas para isso, voltou a fazer apelos. ?Cada parceiro, cada ente tem que assumir a responsabilidade?, acentuou. ?Tenho insistido com o governo do Rio de Janeiro, insistido com a Prefeitura para que assuma seus compromissos como nós temos assumido os nossos." Segundo ele, no projeto da candidatura brasileira estava estabelecido que a União responderia por 17% dos investimentos,. ?Nós chegamos perto dos 50%?, garantiu. ?Agora, tudo tem limite, porque corremos risco de ficar até os jogos assumindo tarefas que não são nossas.? Quando o tom de cobrança começava a ficar um pouco mais exaltado, o ministro retrocedeu. ?Não tenho interesse em bater boca pela imprensa, mas em preparar bem os Jogos Pan-Americanos?, afirmou. Segundo ele, a União já investiu quase R$ 1,3 bilhão. Silva Júnior acrescentou que tem esperança de que o Brasil consiga alcançar o terceiro lugar geral nos jogos. Os Estados Unidos tem técnica mais elaborada, Cuba tem mais tradição e força maior, mas o Canadá é possível de ser superado?, afirmou. ?E depois mirar na superação de Cuba para nos aproximarmos da grande potência esportiva da região, que são os Estados Unidos.?

Agencia Estado,

06 Julho 2006 | 21h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.