Missão de Georgette é recuperar Daniele

Recuperar a auto-estima de Daniele Hypólito é o principal objetivo da técnica do Flamengo, Georgette Vidor. A treinadora, também deputada estadual, retornou nesta terça-feira do Mundial de Ginástica de Anheim, na Califórnia, nos Estados Unidos, onde foi representar o poder executivo e orientar a atleta, cuja forma não é das melhores. "Ela emagreceu muito, o emocional não funcionou, por isso tentei trabalhar a auto-estima", contou Georgette.Nos Estados Unidos, a técnica assistiu Daniele abandonar a final do Individual Geral, nos exercícios de solo, por causa de uma contusão, a exemplo do que aconteceu nos Jogos Pan-Americanos de São Domingos. "Inclusive, procurei alertá-la de que este seria o momento da Daiane (medalha de ouro em Anheim) e não o dela."Georgette tentou poupar de críticas a Confederação Brasileira de Ginástica (CBGin), mas não deixou de apresentar argumentos desaprovando a conduta da entidade. Para a técnica, Daniele deveria ter recebido, por exemplo, uma alimentação especial. "A Dani perdeu muito músculo. E ela precisa de massa muscular, por causa da potência necessária para os exercícios", disse Georgette. "Somente há um mês fiquei sabendo que a mesma quantidade e alimentação era oferecida para todas as atletas. Isso não pode acontecer. Cada uma tem que receber uma alimentação específica, de acordo com suas necessidades."Volta - A técnica do Flamengo ainda revelou que ao menos uma vez Daniele lhe telefonou ameaçando abandonar a seleção permanente para voltar a treinar no clube. Desde o início do ano, a atleta foi obrigada a treinar em Curitiba, deixando o clube e Georgette, que há nove anos a orienta. "Acho que a confederação tentou o melhor. E até funcionou porque classificamos uma equipe feminina para os Jogos Olímpicos de Atenas. O problema foi somente com a Daniele", disse Georgette. "O que aconteceu foi uma dificuldade em relação a essa mudança. Enquanto deu, lutei para segurá-la aqui e evitar esses problemas. Agora, se ela puder voltar ao Flamengo será ótimo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.