Missy Franklin estreia e já pode fazer história

Nadadora americana de 17 anos, que tem o apoio de Michael Phelps, tem chance de medalha nas 6 provas que vai disputar

PAULO FAVERO, ENVIADO ESPECIAL / LONDRES, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2012 | 03h08

A maior promessa da natação dos Estados Unidos para os Jogos Olímpicos é a jovem Melissa Franklin, a Missy, de 17 anos, que conta com o apoio de dois veteranos campeões, Michael Phelps e Natalie Coughlin. A atleta, que conquistou três ouros no Mundial de Xangai, no ano passado, chega com a perspectiva de subir ao pódio nas seis provas que disputará em Londres. "Está sendo muito legal, é minha primeira Olimpíada e estou curtindo bastante", disse a menina, que pode parecer deslumbrada à primeira vista, mas está definitivamente preparada para competir.

O próprio Phelps brinca com o excesso de confiança de Missy. "Eu falei para ela que podia me ligar, mandar mensagem ou conversar se precisasse de algo. Até agora não me procurou", revelou, rindo. Mas Missy avisou que ainda vai falar com o campeão. "Michael é o melhor; com certeza vou procurá-lo", disse. "Os veteranos estão dividindo todo o conhecimento com os mais novos. Aprendi muito com a Natalie e as outras garotas do grupo. Ter esse apoio me deixa muito mais confortável."

Phelps aconselha Missy a controlar sua carga emocional. Mas se diz confiante no brilho da jovem nadadora.

Missy vai disputar os 100 m e os 200 m livre e borboleta, além de participar das equipes de revezamento. Ela ganhou o apelido de Míssil por causa de sua velocidade nas piscinas. Esse talento já era observado pela mãe, que a colocou no esporte por ter medo de água, aos seis meses de idade.

Uma das lições que a jovem leva para a piscina é um texto que Amy Van Dyken, detentora de 6 medalhas olímpicas, lhe enviou por e-mail. Nele, a campeã afirma que as adversárias nas raias ao lado não possuem superpoderes e pede a Missy para se concentrar apenas em suas braçadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.