Missy 'Míssil' dá show e leva ouro nos 100m costa

Na segunda-feira ela derrotou a recordista mundial, a australiana Emily Seebohm, com 58s33

LONDRES, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2012 | 03h04

Missy Franklin não conseguiu a medalha de ouro no 4x100m no domingo, que ficou com a Austrália. Mas, nas provas individuais, a "resposta feminina a Michael Phelps" está cumprindo a expectativa. Ontem, derrotou a recordista mundial, a australiana Emily Seebohm, com 58s33 nos 100m costa. Seebohm ficou com a prata (58s68), seguida pela japonesa Aya Terakawa (58s83).

Missy "Míssil" começou a nadar ainda bebê, por iniciativa da mãe - que sempre teve medo de nadar e queria que a filha não tivesse esse problema. "O que lembro de quando era criança é que nadar era o que mais amava."

A britânica Gemma Spofforth, que ficou em quinto, admite que ficou um pouco desapontada, mas pretende manter a forma com outra atividade bastante desafiadora. "Estou planejando subir o Everest. Comecei a escalar neste ano, e adorei. Vai provavelmente levar cinco anos para eu realizar essa empreitada. É algo que sempre quis fazer."

Novo talento. O Aquatics Center ontem se impressionou também com a lituana Ruta Meilutyte que, com apenas 15 anos, conquistou o ouro no nado peito. "É inacreditável. É demais para mim. Não posso dizer nada agora. Foi difícil e duro, mas significa muito para mim e estou orgulhosa", disse.

A norte-americana Rebecca Soni, que era favorita, reconhece que Ruta impôs um ritmo veloz demais. "Estou desapontada. A prova foi rápida demais. Acho que aprendi uma lição ao longo do percurso." Já a norte-americana Breeja Larson, que tinha chances de medalha, pulou na água antes do sinal sonoro e perdeu a concentração. Acabou chegando em sexto lugar. "É hora de esquecer o que aconteceu e trabalhar para os próximos objetivos", afirmou.

A natação norte-americana está deixando a desejar, mas a boa presença no quadro de medalhas, com 17 medalhas (mesmo número da China, mas quatro a menos de ouro), incentiva as atletas. "É muito bom. Eu tentei me esforçar para ganhar a minha também", disse Soni. / A.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.