Modelo matemático revela como Usain Bolt estabeleceu o recorde mundial

Em 2009, em Berlim, jamaicano alcançou metade de sua velocidade máxima em menos de 1s

O Estado de S. Paulo

26 de julho de 2013 | 18h39

SÃO PAULO - Um artigo publicado nesta sexta-feira pela revista European Journal of Physics apontou os fatores físicos que levaram o jamaicano Usain Bolt a estabelecer o recorde mundial dos 100m rasos, em 2009. Na ocasião, os 9,58 segundos necessários para ele vencer Campeonato Mundial de Atletismo de Berlim exigiram uma velocidade média de 12,2m/s, o equivalente a 43,4km/h.

De acordo com o modelo matemático elaborado pela equipe do pesquisador Jorge Hernández, da Universidade Autônoma do México, o mais impressionante foi a energia mecânica ("trabalho") que o atleta precisou desenvolver para vencer os efeitos da resistência do ar, que são ampliados devido ao seu 1,96m de altura.

Segundo os cálculos, Bolt utilizou apenas 7,79% da energia que desenvolveu para se mover naquela prova. Toda a energia restante (92,21%) foi absorvida pela resistência aerodinâmica, uma força em sentido oposto àquela que o corredor exerce quando se desloca para a frente.

"O coeficiente de arrasto evidencia as capacidades excepcionais de Bolt, que foi capaz de pulverizar vários recordes mesmo não sendo tão aerodinâmico como um humano consegue ser", diz Hernández.

Os cálculos indicam ainda que com apenas 0,9 segundos de prova Bolt já corria a metade daquilo que seria sua velocidade máxima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.