Modesto, Vietnã quer encontrar novo herói

O Vietnã também tem seu sonho olímpico. Tímido, modesto, mas dentro do realismo que o esporte no país permite, embora com uma dose generosa de otimismo.Tudo o que povo e dirigentes querem é descobrir em Pequim um outro herói olímpico. Existe um. Ou melhor, uma heroína. Em 2000, em Sydney, Hieu Ngan Tran, conquistou a prata no tae kwon do, colocando o país asiático no rol dos medalhistas dos Jogos.Não vai ser fácil desta vez. O exército vietnamita é composto por apenas 21 atletas, em nove modalidades - badminton, natação, levantamento de peso, tiro, ginástica, atletismo, tênis de mesa, tae kwon do e luta livre.Vizinha da China, a delegação do Vietnã bem que poderia atravessar a fronteira de ônibus, pois no total tem só 54 integrantes, aí incluídos dirigentes, técnicos, preparadores e afins.O contingente pequeno não tira a esperança do Vietnã, acostumado a guerrear e a vencer gigantes. Já foram eleitos até três candidatos a herói. Dois deles são campeões asiáticos do tae kwon do: Nguyen Van Hung e Nguyen Hoai Thu. O outro, Hoang Anh Tuan, disputará o levantamento de peso.Apesar da equipe reduzida, houve espaço para contestação. Motivo: a inclusão na equipe do mesa-tenista Doan Kien Quoc. Aos 28 anos, é considerado ?velho? para ir à Olimpíada. Que, aliás, será sua segunda, pois esteve em Atenas, em 2004Quoc também tem suas reclamações. Diz que, ao contrário do que ocorreu quando foi à Grécia, desta vez não recebeu apoio da federação local. A preparação foi feita à base de treinos com o irmão e companheiros do clube que representa. Contra o ceticismo dos críticos, Quoc se defende: "Quatro anos atrás, estava cheio de energia", lembra. "Agora, estou mais experiente e confiante."Nem por isso tira os pés do chão. Ao traçar sua meta, é humilde. "Espero passar da primeira fase??.É... Definitivamente, Doan Kien Quoc não está entre os candidatos vietnamitas a herói olímpico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.