Montezemolo descarta Perez na Ferrari em 2013

Presidente acha o piloto mexicano muito novo para a equipe italiana; Massa ainda tem chance de ficar no próximo ano

LIVIO ORICCHIO, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2012 | 03h07

Depois do excelente desempenho no GP da Itália, domingo, em Monza, na casa da Ferrari, cresceram os comentários de que Sergio Perez, da Sauber, poderá substituir Felipe Massa na equipe italiana no ano que vem. O mexicano largou em 12.º, ousou na estratégia dos pneus Pirelli, primeiro usou os duros e depois os moles, e terminou a corrida em brilhante segundo lugar. Mas ontem o presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, jogou um balde de água fria nas suas pretensões: "Colocar um rapaz bem jovem na Ferrari, com a pressão da Ferrari... É preciso mais experiência. Na próxima temporada ainda é muito cedo".

A não ser que as coisas mudem radicalmente, e na Fórmula 1 não é impossível, Perez não faz parte da lista de candidatos à vaga de Massa, caso o brasileiro não tenha o contrato renovado. Stefano Domenicali, diretor da Ferrari, deu um prazo até os GPs do Japão, dia 7, e da Coreia do Sul, 14 de outubro, para Massa demonstrar ser ainda capaz de somar bons pontos regularmente, como fez nas duas últimas provas. Na Bélgica ficou em quinto, o que garantiu à Ferrari 10 pontos, e na Itália, quarto, mais 12. Foi a primeira vez no ano que obteve dois resultados importantes seguidos.

Mas a declaração de Montezemolo, curiosamente, não se estende a outros pilotos jovens e também na lista que todos na Fórmula 1 comentam como eventuais companheiros de Fernando Alonso em 2013. Quem informa é o assessor de imprensa da Ferrari, Luca Colajanni. "Fizeram uma pergunta sobre Perez ao nosso presidente e a resposta foi específica para ele", afirmou ao Estado. Pode-se, depreender, portanto, que outros pilotos jovens, como Nico Hulkenberg e Paul Di Resta, ambos da Force India, não estão descartados.

Luto. Morreu, ontem, aos 84 anos, o neurocirurgião inglês Sid Watkins, médico que socorreu Ayrton Senna, em 1994, no circuito de Ímola, em San Marino.

Watkins foi o chefe da equipe médica da F-1 de 1978 a 2005, sempre responsável pelo primeiro atendimento nos acidentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.