Montpellier é acusado de manipulação no handebol

PARIS - Campeão francês desde 2008, o time de handebol do Montpellier está sendo acusado de manipulação de resultado depois que a mídia da França noticiou que oito jogadores, incluindo alguns da equipe campeã olímpica nos Jogos de Londres, perderam uma partida de forma intencional para beneficiar parentes em apostas.

AE-AP

26 de setembro de 2012 | 13h29

O presidente do clube, Remy Levy, se defendeu das acusações contra os atletas do time nesta quarta-feira, negando que tenha havido manipulação no confronto realizado no último dia 12 de maio. Na ocasião, já com o título de campeã nacional garantido por antecipação, a equipe foi surpreendentemente derrotada pelo Cesson-Rennes, por 31 a 28.

O canal de TV France-3 noticiou, na noite da última terça-feira, que esposas, namoradas e outras pessoas próximas aos jogadores do Montpellier apostaram contra a equipe em sites de apostas do país naquele dia.

A reportagem indicou que oito atletas do clube são suspeitos de envolvimento, enquanto o jornal L'Equipe informou que treinadores da equipe foram interrogados após abertura de um inquérito judicial.

Um funcionário da Loteria Estatal Francesa e agência de jogos local, Française des Jeux, confirmou que as apostas deste confronto realizado em 12 de maio foram suspensas por causa de uma "atividade anormal" promovida pelos apostadores no dia do confronto. Com isso, as autoridades francesas foram avisadas imediatamente sobre o ocorrido. O funcionário em questão falou na condição de anonimato porque o caso está nas mãos das autoridades judiciais.

Remy Levy confirmou, por meio de um comunicado, que uma investigação preliminar estava em andamento, mas adiantou que qualquer informação sobre o caso estava sob sigilo das leis francesas.

Tudo o que sabemos sobre:
HandebolMontpellier

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.