Morre boxeador norte-americano Hector 'Macho' Camacho

O ex-campeão mundial de boxe Hector "Macho" Camacho, que levou um tiro no rosto nesta semana, morreu neste sábado após os aparelhos que o mantinham vivo terem sido desligados, disse o diretor do Rio Piedras Medical, Ernesto Torres, aos repórteres.

Reuters

24 de novembro de 2012 | 15h07

Camacho, de 50 anos, teve morte cerebral declarada na quinta-feira após ser baleado no início da semana.

Dois homens abriram fogo contra Camacho e um amigo, Adrian Mojica Moreno, 49 anos, na terça-feira, quando os dois estavam sentados em um carro no estacionamento de uma loja de bebidas em San Juan, subúrbio de Bayamon, onde Camacho nasceu.

A polícia está investigando e nenhuma prisão foi feita até agora.

Mojica Moreno, motorista do carro, foi morto e Camacho foi atingido na mandíbula. A bala fraturou duas vértebras e se alojou no ombro, danificando as artérias que levam sangue ao cérebro, disseram os médicos.

A polícia encontrou nove papelotes de cocaína nos bolsos do motorista e uma aberta no carro.

Camacho, um lutador canhoto que cresceu em Nova York, teve uma carreira de três decadas que incluiu lutas que foram verdadeiros clássicos do boxe e um estilo extravagante de entrar no ringue.

(Por Redação de San Juan)

Tudo o que sabemos sobre:
BOXEHECTORCAMACHOMORTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.