Morre Enzo Bearzot, técnico que bateu a seleção brasileira na Copa de 82

Agregador, maestro, estudioso. Estes foram alguns dos adjetivos dados a Enzo Bearzot, que morreu ontem, aos 83 anos, em Milão. Ele foi o técnico da seleção italiana que eliminou o Brasil por 3 a 2 e ganhou o terceiro título mundial para o país na Copa da Espanha em 1982. "Enzo Bearzot foi como um pai para mim. A Itália perde um dos maiores homens de sua história", disse Paolo Rossi, autor dos três gols da Azurra diante da seleção brasileira no Estádio Sarriá. Na época, Rossi voltava a jogar, após cumprir dois anos de suspensão, acusado de envolvimento em arranjos de resultados em partidas do Campeonato Italiano.

, O Estado de S.Paulo

22 de dezembro de 2010 | 00h00

Giuseppe Bergomi, que atuou naquela seleção, com apenas 18 anos, também elogia o ex-treinador. "Enzo sabia aumentar a confiança de cada um de seus jogadores. Ele retirava o máximo de cada um em campo", disse o zagueiro, que formou o setor defensivo com Gaetano Scirea, Claudio Gentile e Antonio Cabrini.

Silvio Berlusconi, primeiro-ministro italiano e presidente do Milan, também lamentou a morte de Bearzot. "Compartilho a perda do inesquecível treinador da seleção italiana."

Enzo Bearzot foi mais um jogador limitado, que ganhou notoriedade quando passou a dirigir as equipes do banco. Começou no futebol atuando pelo Pro Gorizia, depois vestiu as camisas de Internazionale, Catania e Torino. Fez apenas um gol pela Azurra. Em 1964, foi ser assistente-técnico do Torino e depois assumiu a direção do Prato, pequeno time da Terceira Divisão.

Convidado pela federação italiana, passou a comandar a seleção sub-23 e acumulou o cargo de assistente do técnico Ferruccio Valcareggi, da seleção principal, em 1969. Assumiu a seleção italiana seis anos depois e ficou como treinador até 1986, após três Copas do Mundo.

Em 1978, terminou na quarta posição, perdendo a decisão do terceiro lugar para o Brasil. Deu o troco, quatro anos depois, e ainda conquistou o tricampeonato, após vitória na final, por 3 a 1, sobre a forte Alemanha. Enzo Bearzot abandonou a seleção em 1986, ao ser eliminado pela França nas oitavas de final.

Doente há muitos anos, Bearzot era casado com Luiza e tinha dois filhos: Glauco e Cinzia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.