Morre o 1.º homem a atingir o topo do Everest

O neozelandês Edmund Hillary, que em 1953 tornou-se o 1º alpinista a alcançar o topo do Monte Everest, morreu aos 88 anos. Há 55 anos, em 29 de maio, Hillary teve a companhia do sherpa Tenzing Norgay, morto em 1986, na escalada de 8.850 metros. Hillary era tratador de abelhas. Após seu feito, foi nomeado Cavaleiro Real e tornou-se Sir pelas mãos da Rainha Elizabeth II.Após vencer o Everest, Hillary se converteu em um defensor dos direitos dos sherpas do Himalaia, guias que ajudam os alpinistas durante as escaladas. Hillary criou uma fundação na década de 60, com o propósito de construir escolas, hospitais e serviços básicos para a população da região.Helen Clark, primeira-ministra da Nova Zelândia, afirmou que a morte de Hillary é "uma profunda perda" para o país. "Sir Ed se definia como um neozelandês qualquer com habilidades modestas. Mas era extraordinário. Foi uma figura heróica, que não derrotou apenas o Everest", afirmou Clark, em entrevista coletiva. "Viveu com determinação, humildade e generosidade."

O Estadao de S.Paulo

11 de janeiro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.