Mortal, Neymar derruba o Palmeiras

Santos foi dominado no 1º tempo, mas depois que o craque achou seu espaço no campo, o time do técnico Muricy Ramalho sobrou e subiu na tabela

MATEUS SILVA ALVES, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2012 | 03h01

O Santos não foi melhor do que o Palmeiras, mas tinha Neymar e isso lhe bastou para vencer por 2 a 1 o clássico disputado no Pacaembu. O craque fez os dois gols da virada de um time em clara recuperação no Brasileiro, enquanto a equipe da Capital corre o risco de terminar o primeiro turno na zona do rebaixamento.

À medida em que avançava o primeiro tempo, ia ficando claro o domínio do Palmeiras. Apesar dos desfalques, o time que estreava um novo terceiro uniforme controlava o jogo em seu campo de ataque, tocando a bola com paciência até aparecer algum espaço na defesa do Santos.

Esse espaço não demorou para surgir e logo a equipe da casa (embora o Palmeiras não goste muito de chamar o Pacaembu de casa) começou a invadir a área adversária e a se aproximar do gol, que finalmente saiu com um belo chute de Correa, um dos principais responsáveis pelo bom toque de bola palmeirense.

A vantagem no marcador fez justiça ao time que melhor jogou futebol no primeiro tempo. Enquanto isso, o Santos apresentava enormes dificuldades para ficar com a bola. Suas trocas de passes não duravam mais do que alguns poucos segundos e, para surpresa de ninguém, a equipe alvinegra só chegou perto de marcar um gol em uma jogada individual de Neymar.

Como o futebol não costuma dar muita importância à justiça, a vantagem palmeirense durou apenas quatro minutos. É evidente que Neymar foi o responsável pelo empate, desta vez com uma novidade em seu já rico repertório: uma belíssima cobrança de falta sofrida por Ganso - que até então fazia figuração - um bocado longe da área palmeirense. Tão longe que parecia improvável que Neymar conseguisse marcar, mas ele conseguiu.

Se o Palmeiras repetisse no segundo tempo o que havia feito no primeiro, teria enormes chances de voltar a liderar o marcador, mas a turma de Luiz Felipe Scolari perdeu o rumo depois do intervalo. É verdade que o Santos melhorou sua marcação, mas a equipe alviverde não soube o que fazer com a bola. Como o time da Vila também estava longe de mostrar um futebol decente, o clássico ficou chatíssimo.

Em meio a essa chatice toda, Neymar apareceu para mudar de novo o rumo da partida. E com mais um chute de fora da área, desta vez com a bola rolando. O chute foi bem colocado, mas o goleiro Bruno colaborou com o adversário, não há como negar.

Se já estava perdido antes da virada, depois dela o Palmeiras ficou completamente à deriva. Ainda assim, Barcos só não empatou o jogo porque Rafael fez uma defesa impressionante em uma cabeçada do argentino. E assim o time da Capital foi condenado à derrota em uma partida em que teve tudo para vencer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.