Morte de georgiano é a quinta em Jogos de Inverno

A morte do georgiano Nodar Kumaritashvili, nesta sexta-feira, durante um treino de luge (modalidade de descida em trenó) em Vancouver foi a quinta durante as 21 edições dos Jogos Olímpicos de Inverno.

AE, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2010 | 21h18

As primeiras tragédia ocorreram em Innsbruck, na Áustria, em 1964. Aquela Olimpíada ficou marcada pelas mortes do esquiador alpino australiano Ross Milne e do britânico Kazimierz Kay-Skrzypeski, que competia no luge. Ambos morreram no treino.

Em 1988, a competição realizada na cidade canadense de Calgary teve a morte do médico da delegação austríaca, Jörg Oberhammer, após ele ter sido atropelado por uma máquina que condicionava as pistas.

O último desastre foi em Albertville, na França. Em 22 de fevereiro de 1992, o suíço Nicolas Bochatay perdeu a vida duas horas antes da final de esqui de velocidade, modalidade que na época não estava entre as competições oficiais. Durante o treinamento, o atleta bateu em alta velocidade contra uma máquina parada na pista.

O esporte sobre o gelo também já fez uma vítima entre os brasileiros. Em 2005, Renato Mizoguchi sofreu um acidente quando se preparava para a Olimpíada de Inverno de Turim, realizada no ano seguinte. O atleta, que praticava luge, sofreu traumatismo craniano e passou por duas cirurgias. Mizoguchi sobreviveu, ainda tentou voltar às competições, mas não teve sucesso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.