Morte de georgiano lança 'sombra' nos Jogos, diz Rogge

'Toda a família olímpica está abalada por esta tragédia que claramente lança uma sombra sobre estes Jogos'

Karolos Grohmann, REUTERS

12 de fevereiro de 2010 | 20h34

A morte de um competidor georgiano durante os treinos de luge nesta sexta-feira lança uma sombra sobre as Olimpíadas de Inverno de Vancouver, a poucas horas de sua cerimônia de abertura, disse o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge.

"Nossos primeiros pensamentos estão com a família, amigos e colegas do atleta", disse Rogge. "Toda a família olímpica está abalada por esta tragédia que claramente lança uma sombra sobre estes Jogos."

Nodar Kumaritashvili morreu depois de perder o controle de seu trenó no Centro de Patinação Whistler e ser jogado contra uma pilastra a mais de 140 quilômetros por hora. Levado de helicóptero a um hospital, o atleta de 21 anos não resistiu.

"Estamos profundamente abatidos por esta tragédia e nos juntamos ao COI em estender nossas condolências à família, aos amigos e aos colegas de equipe destes atletas, que vieram a Vancouver cumprir o seu sonho olímpico", disse o chefe do comitê organizador, John Furlong, em nota divulgada junto ao COI e à Federação Internacional de Luge.

Josef Fendt, presidente da Federação Internacional de Luge, disse que "este é um terrível acidente (...), a coisa mais grave que pode acontecer no esporte, e nossos pensamentos e os da 'família luge' estão naturalmente com aqueles tocados por este fato."

O COI disse estar investigando as circunstâncias do acidente. Os treinos foram suspensos imediatamente depois da tragédia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.