Everstream
Everstream

Morumbi ganha marcação para jogo de rúgbi entre Brasil e All Blacks Maori

Estádio já conta com pintura no gramado e postes para o amistoso que será disputado no sábado entre as seleções

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

08 Novembro 2018 | 18h27

O Morumbi já está pronto para o duelo entre Brasil x All Blacks Maori, a seleção de rúgbi da Nova Zelândia que é a maior potência da modalidade. O estádio receberá pela primeira vez na história uma partida entre seleções neste esporte (na década de 80 chegou a ter partidas entre equipes) e o jogo vem sendo tratado como um evento, pois terá boa presença de público, uso de camarotes e uma grande expectativa para além do resultado.

Até porque a chance de o Brasil vencer o amistoso deste sábado, às 19 horas, é bem remota. "Surpreender é muito difícil porque eles estão lutando por uma vaga no time de cima. Não vão dar espaço. Conheço os times da Nova Zelândia há muitos anos, pela minha carreira como jogador e técnico, e sei que eles conseguem fazer em poucos minutos as coisas que temos de trabalhar muito para alcançar", comentou o argentino Rodolfo Ambrosio, técnico da seleção brasileira.

 

A seleção dos All Blacks Maori é como se fosse um time alternativo da Nova Zelândia. Atua apenas com atletas de origens Maori e muitos dos jogadores sonham em representar o país nas grandes competições, incluindo a Copa do Mundo. "Falar dos jogadores de rúgbi da Nova Zelândia é o mesmo que falar do Brasil no futebol, que, com a escola de futebol que tem, pode convocar 22 jogadores e ainda terão mais 11 em condições. Os All Blacks conseguem fazer três ou quatro seleções", disse Ambrosio.

"Os Maori têm jogadores que já atuaram nos All Blacks. Milner-Skudder, um fullback que se machucou, tem mais de 30 partidas pela Nova Zelândia. O número 8, Akira Ioane, tem 23 anos e com certeza em alguns anos estará jogando com os All Blacks. O Josh Ioane, que também é bem jovem, teve uma temporada muito boa no Super Rugby. Eles utilizam os Maori como um laboratório", continuou, ciente de que sua equipe enfrentará um rival bem forte.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.