Motivação, o maior trunfo de Rubinho

Entusiasmo quase juvenil do piloto impressiona a todos na categoria

Livio Oricchio, O Estadao de S.Paulo

24 de agosto de 2009 | 00h00

Ross Brawn, sócio da Brawn GP e quem chamou Rubens Barrichello para ser seu piloto, desfilou elogios a ele, ontem: "Rubens teve performance sensacional, fantástica. Deu tudo nos momentos precisos e conseguiu abrir as diferenças de tempo que lhe deram a vitória.?? Em outras ocasiões, Brawn cumprimentou Rubinho pelo trabalho nas classificações, mas nem tanto por seu desempenho em corrida. "Hoje foi diferente, Rubens esteve perfeito.??O que mais chama a atenção da maioria dos profissionais da F-? é o fato de Rubinho ter 37 anos, estar na sua 17.ª temporada, ter 279 GPs e, mesmo assim, ainda vence. "Com tudo isso e uma situação financeira estável, como a dele, seria natural não demonstrar mais tanto entusiasmo. Mas Rubens une essa experiência com uma paixão impressionante. Permanecerá na competição em 2010??, afirmou Nick Fry, sócio e diretor da Brawn GP, sugerindo que poderá renovar o contrato.Jock Clear é o engenheiro de Rubinho. Trabalhou com Jacques Villeneuve, campeão do mundo de 1997. "Precisávamos dessa vitória??, disse o inglês. "Minha última foi com Jacques, em 1997 (GP de Luxemburgo, em Nurburgring), fazia tempo."Como Ross Brawn, Clear afirma que mesmo sem os problemas de Lewis Hamilton, no seu segundo pit stop, Rubinho o teria ultrapassado na parada de box. "Rubens conseguia abrir volta a volta, seria apertado, claro, mas sairia na frente??, explicou. "Rubens esteve fantástico todo o fim de semana. Fiquei impressionado com o que fez na classificação, com muito mais gasolina que Hamilton (9,5 quilos), quase conquista a pole.?? Largou em terceiro.Jo Ramirez, ex-coordenador de várias equipes, revisitou a F-1 ontem. "O que me chama a atenção é que Rubens permaneceu muito tempo ausente das vitórias e demonstrou, hoje, ser ainda capaz de conquistá-las.?? Esse recorde ainda pertence a Riccardo Patrese, que em 1983, com Brabham, foi primeiro no GP da África do Sul e depois em 1990, no GP de San Marino, portanto sete anos mais tarde, ganhou de novo. "Motivação, esse o seu segredo. Rubens teve momentos difíceis nos últimos anos, mas incrivelmente manteve o foco nas corridas. Agora, com um grande carro, voltou a vencer, tem todos os méritos??, analisou Mark Webber, da Red Bull. "O que manda é o cérebro. Lembra do Nigel Mansell, campeão do mundo com 39 anos???

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.