Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Arnd Wiegmann/Reuters
Arnd Wiegmann/Reuters

Mourinho: 'Em 2010, eu me dou nota 11'

Português do Real Madrid leva o troféu de técnico do ano e adota discurso ainda mais ousado que de costume

Jamil Chade, O Estado de S.Paulo

11 de janeiro de 2011 | 00h00

Odiado e admirado na mesma proporção. Polêmico e, acima de tudo, vencedor. José Mourinho, técnico do Real Madrid, ganhou nesta segunda-feira o primeiro troféu de melhor técnico do mundo da Fifa em meio a declarações pouco diplomáticas. Se sua maneira franca de ser fez inimigos nos últimos anos, seus títulos acabaram falando mais alto. "Trabalhei muito para chegar aqui e cheguei com meus jogadores", disse. Em seu melhor estilo, deixou claro que é mesmo o melhor. "Esse prêmio não existia. Mas eu também não existia", afirmou.

Veja também:

linkEspanha critica o presidente da Fifa Joseph Blatter

linkMessi surpreende e é eleito o melhor jogador do mundo pela 2.ª vez seguida

linkMarta eleita a melhor do mundo pela 5.ª vez seguida

especialTodos os premiados com a Bola de Ouro da Fifa

especialMarta, a rainha do futebol

forum VOTE - Você aprova a escolha de Messi como Bola de Ouro?

A arrogância compartilhava espaço com a emoção. Nesta segunda-feira, chegou a chorar na cerimônia, rompendo a imagem de durão e foi o primeiro a abraçar Lúcio e Maicon, seus ex-jogadores da Inter de Milão, antes de receber o troféu.

Na eleição em que participaram jornalistas, técnicos e jogadores, tanto Robinho, do Milan, quanto Mano Menezes, da seleção brasileira, votaram no português, o que o levou a superar Pep Guardiola, do Barcelona, e Vicente Del Bosque, da seleção espanhola. Pela imprensa brasileira, o voto foi do narrador Cleber Machado, da TV Globo, que também o escolheu o melhor. Mas a vitória de Mourinho foi apertada: 35,9% contra 33% de Del Bosque. Na apuração só na votação dos técnicos, melhor para o espanhol (12% a 10%), confirmando que o português não é unanimidade entre os parceiros de profissão. "Foram dez anos de muito trabalho e amanhã (hoje) voltarei aos treinos e esquecerei esse prêmio. Tenho de olhar para o futuro."

Mourinho teve mesmo uma carreira fulminante como treinador. Como jogador nos anos 80 havia sido um fracasso, passando apenas por times sem expressão em Portugal, como Rio Ave, Belenenses, GD Sesimbra e pelo Comércio e Indústria. Logo passou a atuar como preparador físico e assistente técnico. Foi só há dez anos que assumiu seu primeiro cargo de treinador, no Benfica e depois no União de Leiria. Os primeiros títulos viriam em 2002, no Porto. Em oito anos, ganharia 17 em apenas três clubes.

Em 2010, continuou somando troféus. Ganhou o Campeonato Italiano e a Copa da Itália com a Inter de Milão e a Liga dos Campeões, pela 3.ª vez. Ele também já havia sido escolhido o melhor do mundo em 2010 pela Federação de História e Estatísticas do Futebol. Mas não se esquece de como foi humilhado no Real Madrid por 5 a 0 contra o Barcelona, de Pep Guardiola. "Não está sendo uma temporada perfeita porque não somos os primeiros."

Sua eleição ainda foi permeada de polêmicas. Até o final de semana, Del Bosque era o favorito. Nos dias que antecederam a escolha, Mourinho chegou a dizer. "Eu sou o melhor do mundo. No ano de 2010, me dou um onze."

Para o meia Xavi, porém, o prêmio não foi justo: "Mourinho não trouxe nada de novo ao futebol", afirmou. Tanto Del Bosque quanto Guardiola minimizaram a escolha. "É difícil dizer quem é o melhor. Isso depende dos jogadores que cada um tem", disse Guardiola.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.