MRV/Minas confia em Virna contra Osasco

Uma das principais jogadoras da seleção brasileira de vôlei, Virna também é um diferencial na equipe do MRV/Minas, que joga quinta-feira, em casa, contra o Finasa/Osasco, tentando empatar a série melhor-de-cinco das finais da Superliga - a equipe paulista venceu o primeiro jogo por 3 a 1. Mais do que jogadora importante do MRV/Minas, a atacante de 32 anos passa informações do Osasco para o técnico Chico dos Santos, já que na temporada passada ela atuou no time paulista, treinado por José Roberto Guimarães.Conhecer a comissão técnica adversária faz Virna se manter confiante. "Já conheço todo o pessoal de Osasco e sei que eles não acham que podem vencer em três jogos. Eles esperam que essa série final seja definida em cinco jogos, têm muito respeito por nós, sabem que somos um time forte", disse a jogadora.Virna garante que muito da boa campanha do Minas deve-se ao técnico, Chico dos Santos, , que subsitituiu Antonio Rizola nasquartas-de-final. "Já conheço o Chico há muito tempo, porque trabalhei com ele na seleção, como auxiliar do Bernardinho. Os dois fazem uma parceria perfeita até hoje. São idênticos, por isso, é bronca para todo lado", brincou. "A verdade é que ele é tão exigente quanto o Bernardinho."Nesta temporada, Virna recebeu uma placa da Confederação Brasileira de Vôlei por ser a primeira, entre todos os atletas, a alcançar a marca de 2.500 pontos na Superliga. Mas até quando vai durar esse pique? "O gás é total. Queria mesmo é receber outra placa quando chegar aos cinco mil pontos", revelou. "A motivação é muito grande, principalmente porque faço o que gosto. Nesses anos todos de Superliga, dependi muito das minhas amigas para conseguir chegar à essa marca."Manter o mesmo nível de concentração e desempenho não deve ser um grande desafio para a jogadora, que deve se apresentar à seleção poucos dias após o encerramento da Superliga. "Faltam só cinco meses e tenho dois objetivos neste ano: ganhar o título da Superliga e jogar bem na Olimpíada", afirmou Virna.Outro lado - O time do Finasa/Osasco embarca nesta quarta-feira para Minas. À noite, treina no ginásio Juscelino Kubitschek, para se adaptar à quadra adversária e fazer os últimos acertos. Além da atacante Mari, que foi eleita a melhor jogadora da primeira partida, a meio-de-rede Dani se destacou na equipe de Osasco. Sobre o jogo, a atleta de 24 anos declara: "Elas vão jogar em casa, com apoio da torcida. Vai ser uma partida ainda mais difícil e nos treinamentos certamente elas vão corrigir os erros apresentados no sábado. O MRV deve estar bem diferente e temos de estar preparadas. Estamos conscientes das dificuldades que vamos encontrar." O terceiro confronto será domingo, no ginásio do Ibirapuera, às 13h30, e Dani quer decidir o título em São Paulo. "Se conseguirmos a segunda vitória, ficaremos em uma situação confortável, porque depois voltaremos a jogar ao lado de nossa torcida", avisou a jogadora de Osasco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.