AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Mudança de G4 para G6 no Brasileiro faz Ponte Preta sonhar mais alto

Equipe de Campinas está na 10º colocação

Estadão Conteúdo

03 Outubro 2016 | 20h00

A confirmação de que a próxima Copa Libertadores vai ter, pelo menos, os seis primeiros colocados do Campeonato Brasileiro animou muitos clubes, exceto aqueles que lutam contra o rebaixamento à Série B. Mas a Ponte Preta reagiu com cautela à novidade. Ao mesmo tempo em que considera a mudança positiva, mantém o seu objetivo principal de atingir os 46 pontos e escapar de qualquer ameaça de queda.

No momento, o time campineiro ocupa a 10.ª posição e está três pontos atrás do Atlético Paranaense, atual sexto colocado, com 42. Em outro cenário favorável aparece oito pontos na frente do Figueirense, que tem 31 e na 17.ª colocação, abrindo a zona de queda.

É preciso considerar que a Ponte Preta vem de duas derrotas seguidas - para Atlético Paranaense e Atlético Mineiro. Antes destes resultados, a equipe vinha perto dos primeiros colocados e de forma consistente. Ficou quatro rodadas na oitava posição, três na sétima e outra na sexta. "Nosso objetivo ainda é o mesmo, de alcançar os 46 pontos. Porque sem isso não tem como a gente sonhar com mais nada no futuro. Depois a gente começa a pensar onde podemos chegar além do planejado", revelou o técnico Eduardo Baptista.

Mas o treinador vê a mudança de calendário com bons olhos. Em 116 anos, a Ponte Preta nunca disputou a mais importante competição de clubes do continente. Foi vice-campeã da Copa Sul-Americana em 2013, na sua primeira participação internacional, ao perder a final para o Lanús, da Argentina.

Eduardo Baptista, porém, não esconde a possibilidade do seu time surpreender nas últimas 10 rodadas. "Abrir seis vagas é muito bom porque pode ser a nossa chance de chegar. Ficar entre os quatro primeiros é muito difícil para os clubes que não têm o mesmo orçamento que os grandes. Já a sexta posição está dentro da nossa realidade, é algo mais real", completou o treinador.

RECUPERAÇÃO - Antes de lutar por sonhos mais altos, a Ponte Preta precisa se reabilitar. O seu próximo adversário vai ser o Cruzeiro, neste sábado, em Belo Horizonte, pela 29.ª rodada. Com a semana livre, ele terá a liberação de titulares que estavam machucados, como o lateral-direito Nino Paraíba e o meia Rhayner, importante no sistema de marcação.

Além disso, vai poder contar com três jogadores que estavam suspensos. Um deles é William Pottker, artilheiro do time com 10 gols, que foi expulso em Curitiba. Outros dois que voltam são o lateral-esquerdo Reinaldo e o atacante Clayson, que cumpriram suspensão automática por receberem o terceiro cartão amarelo.

O grupo de jogadores trabalhou nesta segunda-feira chuvosa no CT do Jardim Eulina, em Campinas (SP). Os atletas que atuaram os 90 minutos no final de semana ficaram na academia, enquanto que o restante trabalhou no gramado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.