Stacy Revere/Getty Images/AFP
Stacy Revere/Getty Images/AFP

Mudança na revisão eletrônica das jogadas é a grande novidade da NFL

Interferências de passes também serão checadas por meio de vídeo

Felipe Laurence, especial para o Estado

05 de setembro de 2019 | 04h30

A grande novidade da centésima temporada da NFL é uma mudança na revisão eletrônica das jogadas. Após polêmicas no ano passado, nesta edição a liga votou para a expansão da checagem por meio de vídeo para uma falta que é de interpretação do árbitro, a interferência de passe. Os times vão poder pedir a revisão do lance caso entendam que um jogador defensivo impediu o outro de receber um passe ou se o atleta de ataque impediu que o de defesa lhe marcasse de maneira correta.

Se no futebol, a introdução do VAR está criando polêmica no esporte e passa por uma fase inicial de adaptação, na NFL a revisão eletrônica acontece desde 1986. O sistema atual vigora desde 1999 e dá possibilidade aos times de desafiarem duas jogadas específicas por jogo. Nos dois minutos finais de cada tempo, a arbitragem pode parar a partida para também revisar suas dúvidas.

Até a temporada de 2018, as jogadas que eram passíveis de revisão eletrônica atendiam critérios objetivos: ver se um jogador pisou ou não fora de campo, se ele perdeu posse de bola, se conseguiu concluir a recepção de um passe, se o time conseguiu cruzar a marca da descida ou da endzone, se o jogador encostou o joelho no gramado, entre outras. 

Ao acionar o mecanismo da revisão eletrônica, o árbitro de jogo perde o poder de decisão da jogada sendo desafiada. Uma central na sede da NFL em Nova York, sob o comando do diretor de arbitragem da liga, analisa as jogadas e decide se a marcação do árbitro em campo será mantida ou revisada. É necessária evidência incontestável para que a marcação original do árbitro seja anulada.

A NFL criou um sistema de recompensa e punição para os times nos casos de desafio. Caso o time consiga a revisão das jogadas nas duas vezes em que acionar o sistema, ele ganha um terceiro. Mas caso perca um desafio, a equipe também perde um dos seus pedidos de tempo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.