Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Muhammad Ali condena o terrorismo

O ex-campeão mundial dos pesos pesados Muhammad Ali está convencido de que nenhum verdadeiro muçulmano pode ter cometido os atentados em Nova York e Washington na terça-feira. O ex-pugilista, antes Cassius Clay e que mudou de nome após se converter ao islamismo na década de 60, disse que se realmente houver muçulmanos por trás dos atentados, eles "violentaram os ensinamentos do Islã". E que "todos que apoiarem os ataques terroristas contra os Estados Unidos não representam o Islã. Deus não está com os assassinos"."Sou muçulmano, sou norte-americano e, como muçulmano norte-americano, quero expressar meu luto e minha dor pela terrível perda de vidas humanas da terça-feira", disse o ex-campeão, hoje com 59 anos. Segundo Muhammad Ali, cuja imagem também ficou associada ao movimento pacifista ao se recusar a ir para a Guerra do Vietnã, "o Islã é uma religião de paz, não promove o terrorismo e a morte de seres humanos". "Quem estiver envolvido deve pagar por esta ferocidade", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.