Mundial de Natação terá revezamento misto em 2015

A partir de 2015, a natação terá duas novas provas no Mundial de Esportes Aquáticos. Nesta sexta-feira, a Assembleia Geral da Fina (Federação Internacional de Natação), reunida em Barcelona durante a disputa do Mundial deste ano, decidiu pela criação dos revezamentos 4x100m medley e 4x100m livre.

AE, Agência Estado

26 de julho de 2013 | 12h53

Nas disputas, cada equipe terá que ter dois homens e duas mulheres, que poderão nadar por ordem definida por cada comissão técnica. Assim, vai valer a estratégia de cada país, havendo grande possibilidade de atletas masculinos e femininos nadarem lado a lado.

A prova em formato 4x50m foi testada em outubro do ano passado, durante a etapa de Dubai da Copa do Mundo de Piscina Curta. Havia a expectativa para que os revezamentos mistos estreassem no Mundial de Piscina Curta de Istambul, também no fim de 2012, mas a novidade agora será implantada do Mundial de Doha (Catar), em 2014. As provas de 4x100m vão aparecer pela primeira vez num Mundial em Kazan (Rússia), em 2015.

O Mundial de Esportes Aquáticos já tem uma prova mista, por equipes, na maratona aquática, disputa que estreou em 2011. Nela, assim como deve ser na prova aprovada nesta sexta, vale não apenas os tempos dos nadadores, mas principalmente a estratégia. O Brasil ganhou bronze no Mundial de Barcelona nesta prova, realizada na quinta.

A Fina tem incluído provas não-olímpicas no seu Mundial. Em Barcelona, estreia como modalidade o salto em altura (saltos ornamentais a partir de plataformas com pelo menos 20m de altura em relação à água). As provas de 50m peito, borboleta e costas, os 1.500m livre feminino e os 800m livre masculino na natação, as distâncias de 5km e 25km na maratona aquática, as competições do trampolim de 1m nos saltos ornamentais, as apresentações solo e combinada no nado sincronizado, além da separação entre rotinas técnicas e livre nesta mesma modalidade, são disputas que não estão no programa olímpico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.