Nigel Marples/Reuters
Nigel Marples/Reuters

Mundial de rúgbi vai agitar a Nova Zelândia

Primeira partida será entre os anfitriões e Tonga às 5h30, no horário de Brasília

Paulo Favero, estadão.com.br

08 de setembro de 2011 | 08h18

SÃO PAULO - Com a participação de 20 seleções - mas sem a presença do Brasil, que nunca conseguiu passar das eliminatórias -, começa nesta sexta a Copa do Mundo de rúgbi, que será realizada na Nova Zelândia e vai até o dia 23 de outubro. O torneio será disputado em 13 estádios e a primeira partida será entre os anfitriões, um dos favoritos ao título, e Tonga.

Por causa do fuso horário, o jogo será às 5h30 da manhã, no horário de Brasília, e terá transmissão ao vivo da ESPN (os canais da emissora exibirão 25 partidas ao vivo e com exclusividade para o Brasil).

Por estar em seus domínios, a Nova Zelândia não quer decepcionar sua torcida. Recentemente, perdeu para a grande rival Austrália e está mordida para a disputa da Copa do Mundo. Mesmo com todo potencial e respeito dos adversários, a seleção ganhou apenas uma Copa do Mundo, a primeira, em 1987. Em todas as outras bateu na trave.

Protagonizou também um dos momentos mais incríveis da competição, em 95, ao perder a final para a África do Sul, sob os olhares atentos de Nelson Mandela. Agora, mesmo com o favoritismo, precisará provar em campo sua fama e acabar com o jejum de 24 anos.

Além dos All Blacks, como a Nova Zelândia é chamada, outras seleções de peso participam da Copa do Mundo e sonham com o cobiçado título. A África do Sul, atual campeã, aposta no talento do ponta Brian Habana, fundamental para a vitória do país na última edição e eleito o melhor do mundo em 2007.

A Austrália também vem forte, assim como a Inglaterra (campeã de 2003 e vice em 2007) e a França, que ficou entre as quatro melhores nas quatro últimas edições. Quem também quer surpreender é a Argentina, movida pelo capitão Agustín Pichot.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.