Amway/ Divulgação
Amway/ Divulgação

Mundial em El Salvador tem surto de covid-19 e surfistas exigem cancelamento

Silvana Lima, integrante da seleção brasileira, é uma das pessoas infectadas

Redação, Estadão Conteúdo

29 de maio de 2021 | 21h14

O Mundial de Surfe, que tem como sede El Salvador e define os últimos classificados aos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, está paralisado por conta de um surto de covid-19 entre os atletas. Entre os infectados está a brasileira Silvana Lima, que não apresenta sintomas. Ao todo foram testadas 564 pessoas e 28 tiveram resultado positivo. São integrantes de 20 das 52 delegações.

O evento no país da América Central tem o selo de "amador" e é organizado pela International Surfing League (ISL, na sigla em inglês). Em 2021 serve como classificatória para a Olimpíada. O principal evento ainda é o Circuito Mundial da World Surf League (WSL, na sigla em inglês) e tem o brasileiro Ítalo Ferreira como atual campeão.

Apesar da paralisação, os atletas querem o cancelamento da competição. Já os organizadores batem o pé e querem a realização do torneio, que dá mais algumas vagas para as Olimpíadas. A maioria dos surfistas em El Salvador competem pela WSL.

Neste sábado, a organização fez alguns ajustes no cronograma original e alterou o início das baterias para este domingo. As duas categorias irão para a água, com os homens competindo na praia de La Bocana e as mulheres em El Sunzal.

A seleção brasileira já desembarcou no país da América Central e luta pelo bicampeonato por equipes com Ferreira, Gabriel Medina, Filipe Toledo, Silvana Lima, Tatiana Weston-Webb e Julia Santos. No masculino, o atual campeão mundial na WSL defende a medalha de ouro, enquanto que no feminino o título do último campeonato, disputado em 2019 nas ondas de Miyazaki, no Japão, foi conquistado pela peruana Sofia Mulanovich. Na ocasião, Silvana faturou a medalha de prata e Medina ficou com o bronze.

Dos seis atletas, apenas Filipe Toledo não entrará em ação no primeiro dia, pois está escalado no 29.º confronto da primeira fase masculina e a abertura do evento terá os 24 duelos iniciais de cada categoria. A primeira a entrar em ação será Júlia Santos, que disputa logo a primeira bateria do dia. Em seguida, Italo Ferreira (13.ª bateria), Tatiana Weston-Webb (16.ª), Silvana Lima (20.ª) e Gabriel Medina (21.ª) dão sequência à participação brasileira na abertura da prova em El Salvador.

No Brasil, Simone Medina, mãe de Gabriel Medina, usou seu Instagram neste sábado para pedir o cancelamento do Mundial. A empresária, que está sem falar com o filho, compartilhou posts que criticam o evento após atletas e oficiais testarem positivo para a covid-19.

Em um deles, inclusive, Medina aparece na foto. "Ajudem a cancelar esse campeonato que nem deveria estar acontecendo", disse Simone uma das publicações. "Que palhaçada! Precisam parar de pensar em dinheiro e, sim, na saúde e segurança dos atletas", afirmou em outra postagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.