Muralha brasileira no caminho de Messi

Defesa da Inter, base da seleção, com Julio Cesar, Maicon e Lúcio, testa [br]força contra o maior astro do momento

MILÃO, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2010 | 00h00

A ordem se restabeleceu no futebol nos últimos anos. O futebol arte anda sobressaindo sobre o jogo de resultados, aquele de equipes que apostam apenas em suas fortes defesas. A Espanha ganhou a Eurocopa, o Barcelona conquistou tudo o que disputou na temporada passada e, no Brasil, a bola se rende à magia dos meninos do Santos. Hoje, mais um teste entre beleza x eficiência agita o planeta. Pelo jogo de ida das semifinais da Copa dos Campeões, a Internazionale, com sua muralha defensiva verde-amarela, formada por Julio Cesar, Maicon, Lúcio, trio da seleção brasileira, e Thiago Motta, tenta segurar o Barcelona do gênio Messi, em Milão.

Será a terceira vez que as equipes se enfrentam na competição. Elas estavam na mesma chave na primeira fase. Em 16 de setembro, ficaram no 0 a 0, na Itália. Em 24 de novembro, no Camp Nou, o Barcelona mostrou ao mundo por que é o grande time do momento ao dar um show nos italianos, mesmo com as estrelas Messi e Ibrahimovic no banco de reservas. Ganhou com gols de Piqué e Pedro: 2 a 0.

"Somos muito melhores agora do que em novembro. Naquele jogo, o Barcelona demonstrou grande superioridade, ganhou com tranquilidade e merecidamente", enfatiza o técnico da Inter, José Mourinho. "Eles seguem sendo bons, mas evoluímos bastante", afirma.

Além de viver um momento melhor e ter uma defesa sólida, a Inter contará com Sneijder, seu astro na armação, também ausente naquele duelo e comparado, com enorme exagero pelos italianos, ao astro Messi. "Não é possível ser comparado a ele. O argentino é o melhor do mundo e ainda tem muito a crescer. Somos diferentes", frisa o holandês. "Contudo, a Internazionale não tem medo de nada, só respeita. Vamos jogar contra os melhores da Europa, mas também estamos entre os melhores. Estamos jogando bem os jogos decisivos e temos o Mourinho, que sempre tem uma tática nova para vencer", observa.

A Internazionale ganhou os jogos das oitavas (diante do forte Chelsea) e das quartas de final (sobre o CSKA). Agora, tenta frear o poderoso ataque catalão e, se possível, abrir uma vantagem para a decisão no Camp Nou, na próxima semana.

Estratégia. O esquema italiano para abrir vantagem será explorar um possível cansaço do Barcelona, que foi obrigado ? por causa do caos aéreo resultado da erupção do vulcão Eyjafjallajokull, na Islândia ? a ir até Milão de ônibus, numa viagem de 14 horas. Ontem, já na Itália, o time fez apenas musculação.

"Temos de correr até não poder mais para encarar um adversário dirigido por um dos melhores técnicos do mundo", diz o técnico Josep Guardiola. "E eu prefiro viajar 14 horas para fazer uma semifinal da Copa dos Campeões do que ficar em casa."

Messi está confirmado num esquema ousado, com Ibrahimovic e Pedro escalados a seu lado no ataque. "Vamos buscar a vitória, como sempre. É vital marcar (gols) fora de casa para ter opções de avançar", revela o lateral-direito Daniel Alves, outro brasileiro do confronto, este pelo lado azul-grená. "Temos de deixar a eliminatória encaminhada e fazer um gol será a chave."

Estrela e decisivo, Messi terá marcação especial. "Jogador importante necessita de atenção. Mas pela minha filosofia, não será um contra Messi e sim onze contra onze. Apesar de ele sempre merecer uma atenção muito especial", filosofa Mourinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.