Michael Kappeler/EFE
Michael Kappeler/EFE

Murer fica em 5º e Isinbayeva é ouro no salto com vara

Brasileira para no salto de 4,75m, enquanto russa é a única a alcançar os 4,89m

AE, Agência Estado

13 de agosto de 2013 | 15h25

MOSCOU - A brasileira Fabiana Murer fracassou na tentativa de defender o seu título mundial no salto com vara. Nesta terça-feira, em Moscou, ela ficou fora do pódio ao não conseguir superar a barreira dos 4,75 metros. Assim, terminou a disputa na quinta colocação. Em casa, a russa Yelena Isinbayeva confirmou o seu favoritismo e conquistou a medalha de ouro, com a marca de 4,89 metros.

Neste Mundial, Murer teve dificuldades para se garantir na final, pois só superou a marca de 4,55 metros no seu terceiro salto no último domingo. A brasileira, contudo, começou bem a disputa de medalha nesta terça, tanto que superou o sarrafo de 4,55 e 4,65 metros logo na sua primeira tentativa.

Depois, porém, falhou nos três saltos nos 4,75 metros e acabou sendo precocemente eliminada. Assim, ela não conseguiu superar a sua melhor marca no ano, que segue sendo de 4,73 metros, obtido em junho, durante a disputa do Troféu Brasil, no Ibirapuera, em São Paulo.

Única brasileira a faturar uma medalha de ouro em um Mundial de Atletismo, Murer vem colecionando decepções após conquistar o seu título em Daegu, na Coreia do Sul, há dois anos. Em 2012, na Olimpíada de Londres, ele não conseguiu se classificar para a final do salto com vara. Agora, no Mundial de Moscou, onde defendia o seu título não chegou ao pódio.

Já Isinbayeva confirmou o seu favoritismo e fez a alegria da torcida russa ao faturar o seu terceiro título mundial - antes, ela havia sido campeã em 2005 e 2007. Dessa vez, em casa, a russa superou uma disputa acirrada com a cubana Yarisley Silva, dona da melhor marca no ano, com 4,90 metros, e da norte-americana Jennifer Suhr, a atual campeã olímpica.

Isinbayeva foi a única saltadora a conseguir ultrapassar a marca de 4,89 metros. Assim faturou o ouro. O pódio da prova foi completado por Suhr, a segunda colocada, e Silva, que terminou na terceira colocação - ambas só conseguiram superar a barreira de 4,82 metros. Depois de faturar o ouro, a russa tentou quebrar o seu recorde mundial, de 5,06 metros, mas não conseguiu após três tentativas.

Aos 31 anos, Isinbayeva chegou a realizar uma pausa na sua carreira, mas mostrou nesta terça que segue sendo o principal nome do salto com vara feminino. A russa pretende realizar nova parada, mas garante que virá ao Brasil participar da Olimpíada de 2016 no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.