Muricy: ainda na pauta da diretoria palmeirense

Presidente Belluzzo e o treinador conversaram, ontem, por meio da Rádio Bandeirantes, e falaram em marcar ?jantar para falar sobre futebol?

Vítor Marques, O Estadao de S.Paulo

13 de julho de 2009 | 00h00

Um dia após admitir pela primeira vez a efetivação de Jorginho no Palmeiras, o presidente Luiz Gonzaga Belluzzo pode retomar negociações com Muricy Ramalho. Belluzzo e Muricy conversaram, ao vivo, em programa da Rádio Bandeirantes, ontem, e ficaram de marcar um jantar para esta semana para "falar sobre futebol". Mas a conversa pode servir para aparar as arestas da negociação frustrada entre o clube e o ex-técnico do São Paulo.O ponto principal é chegar a um acordo salarial, o motivo da negativa de Muricy Ramalho em aceitar a proposta para dirigir o Palmeiras. O clube ofereceu R$ 400 mil, enquanto o técnico pediu R$ 600 mil."É difícil encontrar pessoas sérias como o Toninho (Cecílio, gerente de futebol) e o Gilberto Cipullo (vice-presidente). O projeto do Palmeiras é sério e tenho de certeza de que o clube vai conquistar títulos", afirmou Muricy. Belluzzo respondeu: "Independentemente de conversamos sobre salário, vamos marcar um jantar para falar de futebol", disse o presidente do Palmeiras. O diálogo entre os dois só mostra que não ficou rusga nenhuma entre o treinador e a cúpula do Palmeiras, como Belluzzo já havia sinalizado no sábado à noite, após a vitória do time por por 4 a 1 em cima do Náutico, no Palestra Itália. "Mágoa? Mágoa zero. Imagina se vou ter mágoa de homem? Nem de mulher (risos)", disse o presidente aos jornalistas em entrevista coletiva.Belluzzo também admitiu que não havia negociado pessoalmente com Muricy. As conversas, que duraram uma semana, foram conduzidas pelo vice Gilberto Cipullo e pelo empresário do treinador, Márcio Rivellino. Coube a Belluzzo apenas estipular o teto salarial de R$ 400 mil. "O Palmeiras se portou de maneira soberana, estabeleceu o limite. Quem não quiser trabalhar nesse limite, não vem."Se o presidente agora tomar a rédea da negociação pode acabar convencendo Muricy a assumir o comando da equipe, que na quarta-feira enfrenta o Flamengo, no Maracanã.Tempo para "convencer" Muricy parece que não será problema. A diretoria confirmou que Jorginho dirigirá o time na quarta e, talvez, no próximo domingo, contra o Santo André. "Vamos tocando o barco do jeito que está. O trabalho que está sendo feito tem deixado todos satisfeitos, vamos continuar assim, comentou Belluzzo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.