Muricy alerta: o São Paulo terá vida dura

Técnico previne jogadores sobre estilo uruguaio de resolver as coisas dentro e fora de campo

Amanda Romanelli, O Estadao de S.Paulo

17 de março de 2009 | 00h00

Com a missão cumprida no Campeonato Paulista, o São Paulo viaja aliviado para Montevidéu, no Uruguai, na manhã de hoje. Mas sabe que o clima leve trazido pelas duas vitórias em dois jogos realizados em casa terminará quando que a delegação pisar em solo uruguaio.Assim que desembarcar no país vizinho, por volta das 13 horas, a equipe do técnico Muricy Ramalho certamente já vai começar a pensar nas duras jogadas e na catimba do rival Defensor, adversário de amanhã na terceira partida pela Taça Libertadores. O duelo será decisivo: os times dividem a liderança do Grupo 4, com quatro pontos. O vencedor, se houver um, ficará muito próximo de garantir lugar nas oitavas-de-final.Duas semanas atrás, o São Paulo viajava para sua primeira partida internacional na competição, e em condições bem diferentes. O clima pesou após a derrota para o Santos, na Vila, por 1 a 0. O time precisava muito da vitória e temia um resultado ruim em Cali. Contra o América, um jogo mais fácil do que o esperado resultou no triunfo por 3 a 1. Frente aos uruguaios, porém, há a certeza de que a história será diferente."Vai ser um jogo duríssimo, mais difícil do que contra os colombianos porque eles ainda procuram jogar, tocar a bola", já avisou Muricy. "Os uruguaios, não. Jogam duro, marcam forte."O volante Jean admite que o clima descontraído da reapresentação - que teve trabalho na piscina com música animada e alta - ficará no Aeroporto de Guarulhos. "Estamos tranquilos, mas nem tanto. Não dá para viajar totalmente sossegado", admitiu. "Com os uruguaios é sempre jogo duro. A tensão dobra e a nossa concentração dobrará também."O zagueiro André Dias, com uma contratura na coxa direita, não viaja para Montevidéu. Chance para Rodrigo, que fará sua estreia em jogos da Taça Libertadores.Componente do trio defensivo do hexacampeonato brasileiro, Rodrigo admite que não consegue se conformar com a reserva - neste ano, perdeu a vaga para Renato Silva, que veio do Botafogo. "Eu treino, mas não fico feliz de estar no banco. Acho que qualquer jogador que se conformar com a reserva não é competitivo o suficiente."Muricy Ramalho ainda tem esperanças de contar com Hugo e Zé Luís - o meia sentia dores no joelho esquerdo e o volante sofreu uma leve torção no braço esquerdo durante o jogo contra o Marília. Ambos serão avaliados e podem seguir para o Uruguai. No Campeonato Paulista, porém, terá o desfalque de Dagoberto. O atacante foi julgado ontem pela expulsão no jogo contra o Mogi Mirim. Punido com dois jogos, não enfrentará o Paulista, em Jundiaí.DIVINO HERNANES?Hernanes pede para Dunga um lugar na seleção. O chamado ainda não veio, mas o meia já ganhou a simpatia de um dos grandes jogadores brasileiros: Ademir da Guia. O ex-palmeirense esqueceu a rivalidade entre os times e vestiu a camisa 10 tricolor em homenagem ao destaque são-paulino, a quem chamou de "craque". No último sábado, Ademir participou de uma partida no CT de Cotia, a convite do superintendente de futebol Marco Aurélio Cunha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.