J F Diório/AE
J F Diório/AE

Muricy celebra vitória do Santos, mas diz ser cedo para falar em título

Para treinador, o mais importante no triunfo sobre o Corinthians foi o bom futebol apresentado

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2011 | 00h00

SÃO PAULO - A vitória contra o Corinthians, o sétimo jogo sem perder - são 17 pontos ganhos em sequência - e a possibilidade cada vez mais real de chegar para disputar o título do Campeonato Brasileiro ficaram em segundo plano na avaliação de Muricy Ramalho sobre o desempenho do Santos no clássico deste domingo. Para o treinador, o mais importante no Pacaembu foi o bom futebol, que levou o time a ganhar o Campeonato Paulista e a Libertadores no primeiro semestre.

"A equipe está voltando a jogar bem no momento certo, em velocidade, que é o seu estilo, e a ser ofensiva", comemorou. Ao ser questionado se o Corinthians poderia ter decidido o jogo no primeiro tempo, Muricy discordou. "As principais defesas do primeiro tempo foram do goleiro do Corinthians. Não houve domínio do adversário."

Veja também:

link JOGO - Leia como foi Corinthians 1 x 3 Santos

video ESPN - Assista aos gols da partida no Pacaembu

Sem disfarçar a satisfação pelo futebol de alto nível que o time mostrou no segundo tempo, Muricy argumenta que primeiro é preciso igualar o número de jogos (tem dois a menos) e se aproximar dos líderes. "O Campeonato Brasileiro é complicado. Para que isso aconteça (entrar briga pelo título) precisamos encaixar um bom número de vitórias e encurtar a distância para os primeiros colocados", desconversou o comandante santista.

O treinador disse estar impressionado pela fácil e convincente adaptação de Alan Kardec à nova função tática. "No dia a dia dos treinos, ele mostrou ser um jogador inteligente e que sabe se posicionar bem nos espaços livres. Quando eu perdi o Ganso, tinha que encontrar uma solução e não imaginava que pudesse ser o Kardec", recordou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.