Muricy dá razão a Mano Menezes

Santista não entra na polêmica criada por Luis Alvaro, mas diz que técnico da seleção acerta ao pensar na Olimpíada

SANCHES FILHO / SANTOS, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h04

SANTOS. MURICY USA RESERVAS CONTRA O FLA E PODE ATÉ NÃO VIAJAR

O técnico do Santos, Muricy Ramalho, preferiu não se posicionar em relação à denúncia do presidente do clube, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, de que o diretor de seleções da CBF, Andrés Sanchez, e o técnico Mano Menezes, teriam manobrado na convocação de jogadores para beneficiar o Corinthians na semifinal da Libertadores. "Eu sou técnico de futebol e só posso responder pelo meu time'', disse.

No entanto, ele deu razão a Mano por ter convocado Neymar e Rafael para os amistosos nos Estados Unidos. "O foco tem de ser esse mesmo. Chegou a hora de definir o time para a Olimpíada. Ele já fez muitos testes e agora chegou a hora de definir.''

Sobre a não convocação de Paulinho, Muricy disse que se trata de um grande jogador e que poderá ser um dos volantes para a Copa de 2014. "Mas, não sei se Paulinho tem idade olímpica.'' Paulinho fará 24 anos em 25 de julho e está fora dos critérios definidos para os Jogos de Londres.

Muricy está bastante preocupado com Neymar. Os resultados dos exames de sangue dos jogadores, realizados quinta-feira, mostraram que o desgaste de todos foi alto, bem acima das partidas normais, mas nenhum deles apresentou um índice tão elevado quanto o do atacante.

"Eu nunca vi Neymar desse jeito. Cansado e desabar daquele jeito. Para acontecer com ele assim, é muito difícil'', disse o treinador, embora Neymar seja o jogador que apresenta o maior desgaste após qualquer jogo.

O que mais assustou Muricy foi que, no momento em que parte dos refletores da Vila Belmiro apagou na quarta-feira, Neymar, após desabar no gramado, reclamou para os companheiros que estava esgotado. "Neymar disse que estava sentindo cãibras, o que nunca aconteceu com ele.''

O treinador não confirma que o atacante tenha perdido peso e massa muscular em razão das viagens de ida e volta aos Estados Unidos e dos três jogos pela seleção, mas diz que, só de olhar, percebeu que ele retornou desgastado, em razão da mudança do método de treinamentos, alimentação diferente e cansaço.

Muricy preferiu não relacionar a queda de rendimento do time ao fato de Neymar não fazer gol há três jogos. Ele diz que o Santos é um time e que não pode falar de um só atleta. "O que está acontecendo com Neymar é um momento e vai passar. Não tem sido fácil para ele. É viagem para cá e para lá. Ele vai descansar e ficar melhor até quarta-feira.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.