Shizuo Kambayashi/AP
Shizuo Kambayashi/AP

Muricy deve convocar Léo para a final

Técnico pensa em reforçar a marcação e usar o esquema 3-5-2; ontem, santistas foram assistir à tranquila goleada do Barcelona sobre o Al-Sadd, do Catar

LUÍS AUGUSTO MONACO , ENVIADO ESPECIAL / YOKOHAMA , O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2011 | 03h09

Está no ar na concentração do Santos que o time entrará em campo domingo, 18, diante do Barcelona na decisão do Mundial com três zagueiros e terá Léo como ala pela esquerda. O 3-5-2, que deu tantas alegrias a Muricy Ramalho em sua vitoriosa passagem pelo São Paulo, pode ser a alternativa para dar mais segurança a uma defesa que cometeu muitos erros na vitória por 3 a 1 sobre o Kashiwa Reysol.

A lentidão de Durval no confronto com o lateral-direito Sakai foi o grande problema do time no jogo de quarta-feira - o japonês cansou de chegar à linha de fundo e fazer cruzamentos perigosos. Se Daniel Alves tiver essa mesma facilidade na final, o prejuízo poderá ser grande.

Muricy admitiu que Durval enfrentou dificuldades, mas não vai tirá-lo do time para não cometer uma injustiça com um jogador que foi muito regular ao longo da temporada atuando na zaga e aceitou quebrar o galho como lateral. Para Léo voltar ao time o sacrificado deverá ser Henrique ou Elano. O primeiro fracassou como volante, mas está em melhor condição física. E o segundo tem mais experiência e pode ser importante na bola parada. Se o sacado for Henrique, Arouca jogará à frente dos zagueiros (marcou pela esquerda contra os japoneses).

Com Durval de volta à zaga e Léo na lateral, Muricy teria um jogador mais veloz para combater Daniel Alves e um zagueiro canhoto acostumado a fazer a cobertura por aquele setor. O 3-5-2 também deixaria o coração da área mais protegido, com um homem na sobra para tentar cortar os passes em profundidade com que o Barça costuma romper as defesas adversárias. Enfrentar setores defensivos que jogam em linha é um prazer para um time que tem passadores como Messi, Xavi e Iniesta.

Depois do jogo contra o Kashiwa, Muricy afirmou que o time precisaria melhorar bastante a marcação para fazer frente ao Barcelona, que ontem venceu com extrema tranquilidade o Al-Sadd, do Catar, por 4 a 0. E a simples entrada de Léo no esquema 4-4-2, com a volta de Durval à zaga no lugar de Bruno Rodrigo, pode não ser suficiente porque o lateral ficou alguns dias sem treinar por causa de uma dor no joelho direito que ainda não sumiu. Por isso, a probabilidade de Muricy adotar o 3-5-2 é grande.

O humor de Léo melhorou bastante depois do jogo da semifinal. O jogador que andava de cara amarrada e evitava a imprensa deu lugar ao Léo de sempre: falador, otimista e louco para fazer o seu comercial. Disse estar com muita vontade de jogar e afirmou que é difícil um zagueiro se sair bem atuando como lateral.

Ontem o grupo chegou a Yokohama no meio da tarde e fez apenas uma atividade na academia do hotel. À noite, oito jogadores - entre eles Neymar, Ganso e Elano - e a comissão técnica foram ver de perto a vitória do Barcelona, alcançada em ritmo de treino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.